Neste sábado os jogos finalmente estão de volta. Após o cancelamento inevitável em 2020 devido ao COVID-19, o Invictus Games de Haia está a todo vapor. Harry e Meghan estão nos Países Baixos, popularmente conhecido como Holanda, para prestigiar os veteranos em mais uma edição que tende a ser um sucesso. Foi informado que Meghan acompanhará Harry nos jogos apenas nos primeiros dias.

Antes de chegarem a Haia, foi confirmado pela assessoria de imprensa do Duque e da Duquesa de Sussex que o casal esteve em Windsor visitando a Rainha Elizabeth II na última quinta-feira.

Podemos confirmar que eles visitaram a avó do Duque, como dissemos anteriormente que ele esperava fazer. Eles pararam no Reino Unido a caminho de Haia para participar do Invictus Games.

Esta foi a primeira vez de Meghan no Reino Unido desde 2020, assim como em toda Europa em si. Também foi relatado, embora não confirmado pela assessoria do Duque e da Duquesa, que o casal chegou a Windsor na quarta-feira e descansaram o restante do dia em Frogmore Cottage, residência do casal no Reino Unido, que no momento serve de lar para a prima do casal, Princesa Eugenie e sua família. Na manhã seguinte, os Sussexes se encontraram com a Rainha e fontes dizem que eles também se encontraram com Príncipe Charles e Camilla, que estavam na Capela de Windsor representando a Rainha na Missa Anual de Royal Maundy.

Vale a pena ressaltar, que desde que a presença de Harry nos jogos foi confirmada meses atras e de Meghan a poucos dias, vários relatórios da imprensa britânica condenavam o Duque e a Duquesa por não visitarem a Rainha, por falta de respeito a fragilidade da saúde da monarca e seu aniversário próximo. Harry e Meghan conseguiram visitar a Rainha em particular, sem nenhum vazamento vindo do palácio. Não há confirmação oficial de que ambos se encontraram também com Charles e Camilla, mas isto se confirmando, não houve vazamento de dois escritórios da realeza, deixando ainda mais visível que os vazamentos de toda e qualquer informação vinham do Palacio de Kensington.

O primeiro evento publico do casal foi uma recepção de boas-vindas para veteranos e familiares. Harry e Meghan foram recebidos pelo prefeito de Haia, Jan van Zanen, e pelo presidente do Invictus 2022 Mart de Kruif. Eles caminharam até a recepção ao lado de Fenna Geugjes, sua esposa Bertine e sua filha Lieva. Meghan deu seu casaco para que Bertine protegesse a bebê Lieva do frio. O secretário de Transportes dos Estados Unidos, Pete Buttigieg, e seu marido, Chasten, também estiveram no evento, assim como membros de comitivas de outros países. Na recepção, Meghan e Harry foram fotografados conhecendo diversos competidores e suas familias.

Foi confirmando que Harry e Meghan farão um discurso separadamente na cerimônia de abertura do Invictus Games e com toda certeza eles destacarão a bravura de todos os veteranos, em especial os competidores da Ucrânia que estão passando por momentos difíceis de guerra nos últimos meses.

Amanhã Harry e Meghan participarão do Jaguar Land Rover Driving Challenge antes da cerimônia de abertura. Alguns rumores dão conta de que Meghan terá um encontro com crianças na tenda da embaixada britânica, onde provavelmente ela fará a leitura de The Bech. Também foi confirmado que os Sussexes participarão de vários eventos no domingo, incluindo tiro com arco, vôlei sentado e eventos de atletismo. No domingo de pascoa e na segunda, acontecerá no Invictus Park o “Special Invictus Games Easter Eggs”, conhecido como caça aos ovos e espera-se a presença do casal.

 

ig_2810429.jpg ig_2811529.jpg

d_281029.png a_28329.png

O Duque e a Duquesa de Sussex participaram no fim do último mês do NAACP Image Awards. A premiação ainda aconteceu no esquema meio virtual e meio presencial, e até os últimos instantes não se tinha informação de como seria a aparição de Meghan e Harry.

NAACP é uma das mais antigas e mais influentes instituições a favor dos direitos civis de uma minoria nos Estados Unidos da América. NAACP Image Awards é uma premiação concedida anualmente, desde 1970, pela Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor (NAACP) para os afro-americanos mais influentes do cinema, televisão e música do ano.

O casal de vestiu apropriadamente com designers pretos. Enquanto o smoking de Harry era de Ozwald Boateng, Markle escolheu Christopher John Rogers para assinar seu vestido. CJR destacou para Vogue que ele e Meghan trabalharam na peça um mês antes da premiação acontecer e que foi a Duquesa quem entrou em contato com ele, por e-mail.

Fiquei imediatamente impressionado com seu entusiasmo e sua conduta no – sua sensação de tranquilidade e confiança dentro de si mesma. Nós rapidamente tocamos nessa ideia de uma revelação. Ela realmente não saía assim há um tempo.

É sempre muito emocionante poder usar cores e muitos tons diferentes da mesma cor para criar algum tipo de grafismo, que é uma assinatura minha. É algo que parece fresco e certo para agora, disse Rogers para Vogue Magazine.

Harry e Meghan receberam o President’s Awards no NAACP. A honra reconhece os feitos notáveis de serviço público. Outros que receberam o prêmio incluem Muhammad Ali, Jesse Jackson, Colin Powell, Condoleezza Rice, LeBron James, Rihanna, Jay-Z, Lauryn Hill, Soledad O’Brien, entre outros.

O casal anunciou a criação do prêmio, o NAACP – Archewell Digital Civil Rights Award, apoiado pela Archewell Foundation e administrada pela NAACP, é um prêmio recente criado para reconhecer líderes criando transformação e mudança – nas intercessões de justiça social e tecnologia – pra avançar os direitos civis e humanos. O recipiente do inaugural prêmio NAACP – Archewell Digital Civil Rights de 2022 é a renomada autora e professora Doutora Safiya Noble, que foi pioneira no estudo de como as tecnologias digitais interagem com a cultura, raça e gênero.

Todo ano os destacados irão receber um prêmio de cem mil dólares sem restrição de uso para utilizar nos avanços de novos trabalhos, expandir lideranças e especialistas ou continuar a fazer impacto no campo.

Assista ao discurso legendado de Meghan e Harry no NAACP Image Awards.

Meghan Markle e Príncipe Harry recebem o NAACP President’s Awards [LEGENDADO BRPT] from Meghan Markle Brasil on Vimeo.

 

B0EAA85C-A5C7-412F-BE0A-CC5388E46576.jpeg 809E4E64-1100-4EE0-9E35-B420182C0E9B.jpeg

Eu assisti ansiosamente enquanto o presidente Joe Biden se aproximava do pódio ladeado por duas mulheres negras. O presidente Biden estava prestes a fazer história – mais uma vez. Com a vice-presidente Kamala Harris ao seu lado, a primeira mulher negra a ocupar o cargo, o anúncio que levou semanas para ser feito foi finalmente lançado. Minutos depois de sua entrada no grande salão, um compromisso de mais de 200 anos foi oficializado. A juíza Ketanji Brown Jackson se tornou a primeira mulher negra indicada a um assento na Suprema Corte dos Estados Unidos.

Todos os possíveis indicados na lista curta do presidente Biden tinham a experiência educacional e profissional que um juiz associado da Suprema Corte deveria ter. Cada um tinha uma história de vida inspiradora e credenciais impressionantes. O escrutínio dado às mulheres consideradas focou a atenção do país no valor de ter uma mulher negra no Supremo.

O presidente havia prometido nomear uma mulher negra para a Corte. Mas eu não podia ter certeza de que essa barreira seria superada – até que foi. E depois que a coletiva de imprensa terminou, me sentei mais ereta e me senti grata por ter testemunhado outro teto de vidro que foi quebrado em minha vida.

A jornalista Nikole Hannah-Jones credita aos negros americanos por tornarem verdadeiros os “ideais fundadores de nossa democracia”. As contribuições das mulheres negras para esse progresso têm sido frequentemente negligenciadas. A indicação de Jackson é um produto do nosso trabalho e sua história simboliza nosso sucesso em alcançá-la. Mas ela é mais do que um símbolo das contribuições das mulheres negras para a democracia dos Estados Unidos.

Ao considerar a gravidade de como esse anúncio deve ser para tantos, pensei em momentos da história moderna em que mulheres negras de estatura e credencial entraram em arenas antes consideradas inacessíveis.

Recentemente, consegui me conectar com uma dessas mulheres – Meghan, a Duquesa de Sussex – e, embora seu papel nos últimos anos não tenha sido o de uma juíza federal ou autoridade eleita, não pude deixar de ver uma medida de paralelismo dada a sua experiência de navegação em território desconhecido como uma mulher negra.

A história dos direitos civis de amanhã está sendo escrita hoje, ela me disse. A nomeação da juíza Jackson abriu novos caminhos para a representação das mulheres no mais alto nível de um sistema judicial que por muito tempo se pendurou contra a própria comunidade de onde ela vem. Para as milhões de jovens que com razão encontrarão inspiração neste momento, nos lembrando de que a conquista negra é algo que existe não apenas hoje ou ontem, e não apenas em momentos de celebração, mas como um tecido em toda a crônica da história americana.

Com este anúncio, todas as meninas e jovens podem manter suas cabeças mais altas e com mais confiança. A conquista de Jackson pode ser o exemplo do aparentemente improvável se tornar o possível que muda a forma como eles pensam sobre seu próprio potencial. Jackson disse que esperava inspirar todas as meninas. E o ex-presidente Barack Obama assegurou-lhe que sim quando ele twittou que a candidata “já havia inspirado jovens negras como minhas filhas a mirar mais alto”.

E Jackson inspirou uma geração de meninas e fez uma geração que veio antes dela orgulhosa. Durante a coletiva de imprensa anunciando sua nomeação, Jackson nomeou a juíza Constance Baker Motley, a primeira mulher negra a ser nomeada para um tribunal federal, como alguém que a inspirou. E Motley, juntamente com uma lista de mulheres BIPOC da minha idade ou mais velhas, juízas, juristas e advogadas que abriram o caminho para este momento histórico, este dia é para você. Às nossas mães, tias, professoras e amigas, que por questões familiares, financeiras ou legais não puderam cursar Direito, mas que, como minha própria mãe, fizeram questão de que pudéssemos ter uma carreira na advocacia, este momento é para você também. Através desta nomeação todos nos tornamos mais visíveis sabendo que as nossas lutas não foram em vão.

Em nossa celebração, devemos reconhecer que a influência na própria lei deve ser um dos benefícios de ter uma mulher negra na mais alta corte de nosso país. Como os juízes da Suprema Corte rotineiramente discutem casos em conferências, a participação de Jackson nas deliberações da Corte é uma maneira de pensar sobre como ela pode ter uma influência específica. Por exemplo, a juíza Sandra Day O’Connor escreveu sobre como a juíza Thurgood Marshall a “influenciou profundamente”. Para O’Connor, a narrativa de Marshall em reuniões com seus colegas demonstrou “o impacto humano da lei” e contrabalançava a tendência dos juízes de ver a lei como abstrata. Se confirmada, só posso imaginar que a presença de Jackson nas câmaras da Suprema Corte inspirará um pensamento interseccional mais profundo sobre o poder que as decisões da Corte têm sobre a vida das pessoas.

Por sua vez, seja na opinião da maioria ou na dissidência, uma integração dessas vidas e experiências de mulheres de cor pode apoiar o raciocínio por trás das decisões. E as dissidências podem um dia se tornar lei. Com seu raciocínio afiado e compromisso inabalável, a juíza Sonia Sotomayor, a primeira juíza latina da Suprema Corte e a única mulher negra na Corte, tem sido uma feroz defensora dos direitos dos eleitores de baixa renda e minorias e em outros casos de discriminação. Suas dissidências abriram caminho para alterar a direção futura da lei. As opiniões divergentes importam. Lembre-se, por exemplo, de como a juíza Ruth Bader Ginsburg não apenas criticou seus colegas homens na bancada por não entenderem como suas decisões impactavam as chances das mulheres de igualdade no local de trabalho. Ela também usou sua discordância para instar o Congresso a mudar a lei que impedia as mulheres de alcançar a igualdade total. Seja em dissidência ou como parte da maioria, Ginsburg mudou a lei.

Em suma, uma mulher negra no Tribunal, como acontece com toda a diversidade, tem potencial para expandir a imaginação judicial para incluir novas formas de pensar sobre equidade e justiça conforme entregues por meio da lei. Uma Corte que reflita a América oferece a possibilidade de diferentes abordagens e visões de mundo que podem responder aos apelos de populações marginalizadas por causa de suas identidades.

A promessa desse momento histórico está em seu potencial de tornar a lei mais justa e dar a mais pessoas a confiança de que nossos tribunais são realmente representativos. Para isso, todo o país pode sentar-se mais ereto.

 

Artigo original – Anita Hill: nomeação de Ketanji Brown Jackson para a Suprema Corte sinaliza mudança histórica.

Meghan Markle e Príncipe Harry participarão do #NAACPImageAwards neste sábado, 26/02. O host do evento será Anthony Anderson que confirmou a presença do Duque e da Duquesa em um vídeo que está circulando na programação de TV americana.

A NAACP é uma das mais antigas e mais influentes instituições a favor dos direitos civis de uma minoria nos Estados Unidos da América. NAACP Image Awards é uma premiação concedida anualmente, desde 1970, pela Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor (NAACP) para os afro-americanos mais influentes do cinema, televisão e música do ano.

No mesmo dia, Harry e Meghan irão receber o President’s Awards no NAACP. A honra reconhece os feitos notáveis de serviço público. Outros que receberam o prêmio incluem Muhammad Ali, Jesse Jackson, Colin Powell, Condoleezza Rice, LeBron James, Rihanna, Jay-Z, Lauryn Hill, Soledad O’Brien, entre outros.

Estamos felizes em apresentar esse prêmio para Príncipe Harry e Meghan, Duque e Duquesa de Sussex, que juntos tem levantado a bandeira da justiça social e tem se juntado ao esforço por equidade tanto nos Estados Unidos quanto no mundo. Não só eles continuam a liderar por exemplo, o Duque e a Duquesa de Sussex também decidiram inspirar uma nova geração de ativistas através da ‘The NAACP-Archewell Digital Civil Rights Award’, garantindo, apoiando e reconhecendo as gerações de líderes de Direitos Civis que estão chegando.

Sobre o prêmio, o NAACP – Archewell Digital Civil Rights Award, apoiado pela Archewell Foundation e administrada pela NAACP, é um prêmio recente criado para reconhecer líderes criando transformação e mudança – nas intercessões de justiça social e tecnologia – pra avançar os direitos civis e humanos. O recipiente do inaugural prêmio NAACP – Archewell Digital Civil Rights de 2022 é a renomada autora e professora Doutora Safiya Noble, que foi pioneira no estudo de como as tecnologias digitais interagem com a cultura, raça e gênero.

Em declaração à imprensa, Meghan e Harry disseram:

É uma honra muito grande sermos reconhecidos pelo Presidente Derrick Johnson e pela NAACP, os quais os esforços para impulsionar a justiça racial e os direitos civis são vitais hoje como eram há 115 anos. Estamos orgulhosos em apoiar o trabalho da NAACP, e de termos a parceira com a organização no prêmio recente NAACP – Archewell Digital Civil Rights Award que será dado a Doutora Safiya Noble como parte do 53° NAACP Awards.

Todo ano os destacados irão receber um prêmio de cem mil dólares sem restrição de uso para utilizar nos avanços de novos trabalhos, expandir lideranças e especialistas ou continuar a fazer impacto no campo.

Desde que retornou aos EUA, Markle vem elevando ainda mais sua voz sobre os assuntos raciais e pautas que sempre foram importantes em sua vida e que precisaram ser administradas com cuidado enquanto foi um membro trabalhador da Família Real.

O príncipe Harry e Meghan, o Duque a Duquesa de Sussex marcaram o Dia de Martin Luther King Jr. mostrando um pouco de amor pelas empresas de propriedade negra.

O casal forneceu ao King Center for Nonviolent Social Change em Atlanta food trucks de propriedade negra na segunda-feira, de acordo com a filha do ícone dos direitos civis, Bernice King.

Os food trucks foram utilizados por voluntários durante um evento de projeto de serviço comunitário, disse King.

Obrigado, Príncipe Harry e Meghan, Duque e Duquesa de Sussex, por fornecerem food trucks locais de propriedade de negros para os voluntários do Community Service Project no @TheKingCenter hoje. Sou muito grata por sua benevolência em honrar meu pai. #MLKDay #BelovedCommunity

O porta-voz de Harry e Meghan confirmou a doação para a ITK, dizendo que os caminhões, Paige’s Pastries & Bistro e Parlay Savory Saloon, ofereciam almoços gratuitos para funcionários e voluntários.

Alguns dos eventos do King Center incluíram uma campanha de registro de eleitores e educação, bem como uma campanha de doação para os sem-teto. A dupla também compartilhou uma conexão pessoal com um palestrante principal no King Center: o bispo Michael Curry recitou de Martin Luther King Jr. durante um sermão em sua cerimônia de casamento de 2018.

Não é a primeira vez que a dupla — que se mudou do Reino Unido para a Califórnia em 2020 e se afastou de suas funções como realeza britânica trabalhadora em tempo integral — é reconhecida por suas doações de caridade. No ano passado, um abrigo feminino no Texas agradeceu a Harry e Meghan por ajudarem a concertar um telhado danificado pelo clima de inverno no Lone Star State. A Fundação de caridade do casal, Archewell Foundation, também anunciou no ano passado que ajudaria a construir um centro de socorro na Índia em meio a um aumento nos casos de COVID-19.

No ano passado, Meghan Markle e Harry — apoiadores francos da licença parental remunerado — fizeram manchetes após uma entrevista bombástica com Oprah Winfrey na qual disseram que o racismo desempenhou um papel em sua decisão de se afastar de seu trabalho com a família real.

Antes de seu filho com Harry nascer em 2019, Meghan disse que houve conversas dentro da família real sobre “como sua pele poderia ser escura. Isso foi transmitido para mim por Harry”, disse ela a Winfrey.

 

Tradução e adaptação: Equipe Meghan Markle Brasil.
Artigo original: The Hill.

 

O jornal britânico aceitou a derrota e pagará uma quantia adicional não especificada por infringir os direitos autorais da Duquesa. O Mail on Sunday pagará à Duquesa de Sussex apenas £1 em danos por invadir sua privacidade, publicando uma carta particular que ela havia enviado a seu pai.

A quantia nominal foi definida em documentos judiciais que também confirmam formalmente que o jornal – e seu site irmão MailOnline – aceitou a derrota e não levará o caso de longa data a um recurso da Suprema Corte. A agência também pagará uma quantia não especificada pelo caso separado de violação dos direitos autorais de Meghan ao publicar grandes partes da carta.

Mark Stephens, um advogado de mídia, disse que o acordo nominal para o aspecto da privacidade sugere uma fraqueza nesse aspecto do caso de Meghan:

Normalmente, para esse tipo de invasão de privacidade, você esperaria de £75.000 a £125.000. Isso mostra que a curadoria de sua reputação foi uma área em que ela efetivamente invadiu sua própria privacidade.

O editor do jornal também concordou em pagar uma quantia confidencial em danos por violação de direitos autorais. O Mail on Sunday também enfrenta a necessidade de cobrir uma parte substancial dos custos legais de Meghan, que podem chegar a mais de £1 milhão.

A Duquesa sempre disse que sua batalha legal de três anos contra a Associated Newspapers, a editora do Mail on Sunday e do site irmão MailOnline, era mais sobre princípios do que dinheiro. Seu porta-voz disse que as vitórias no tribunal demonstraram a força de ambas as reivindicações e que os remédios financeiros seriam baseados no direito de Meghan a uma conta dos lucros do jornal após sua vitória. O porta-voz descreveu o pagamento como substancial e disse que seria doado para instituições de caridade.

Como parte do acordo judicial, as agências do Mail também foram obrigadas a evitar a divulgação dos nomes de cinco amigos de Meghan que falaram anonimamente à revista People para um artigo de 2018 sobre Meghan. O jornal já havia tentado nomear os indivíduos em processos judiciais.

O Mail on Sunday e o MailOnline também foram obrigados a veicular declarações de primeira página e página inicial de que haviam perdido o processo legal, com os tribunais até mesmo especificando em qual fonte as declarações deveriam aparecer. Os meios de comunicação optaram por fazer isso no Boxing Day, um dos dias de notícias mais calmos e de poucas vendas de jornais do ano no Reino Unido.

A Associated Newspapers argumentou que o caso de Meghan deveria ter ido a julgamento, mas os juízes concluíram o contrário. Uma decisão no início de dezembro disse que a Duquesa tinha uma “expectativa razoável” de privacidade em relação ao conteúdo da carta para seu pai, Thomas Markle.

Esses conteúdos eram pessoais, privados e não questões de legítimo interesse público, disse o juiz de apelação Sir Geoffrey Vos.

Meghan comemorou essa vitória pedindo uma reformulação da indústria dos tabloides e falou de como ela foi paciente em face da “decepção, intimidação e ataques calculados” e criticou uma “indústria dos tabloides que condiciona as pessoas a serem cruéis e lucra com as mentiras e dores que eles criam”.

Na época, a Associated Newspapers alegou que estava disposta a levar o caso à suprema corte, mas isso acabou sendo uma ameaça vazia.

O foco agora provavelmente se voltará para as ações do marido da Duquesa, o Príncipe Harry, que está processando o News UK de Rupert Murdoch e o editor Reach do Daily Mirror sobre alegações de hacking de telefone em um caso que poderá ser ouvido no final deste ano.

Artigo original The Guardian.

O casal visitou a Task Force Liberty em Nova Jersey, que atualmente abriga 10.000 refugiados. Meghan e Harry revelaram uma das canções favoritas de Archie em uma visita a uma base militar dos EUA no último dia 11. O casal visitou a Task Force Liberty na Base Conjunta McGuire-Dix-Lakehurst em Nova Jersey na quinta-feira.

A base atualmente é o lar de 10.000 refugiados afegãos que estão sendo apoiados pelo Departamento de Defesa. Durante a visita, eles pararam em uma sala de aula cheia de crianças aprendendo inglês.

Falando sobre o dia, um porta-voz do casal disse:

Eles perguntaram aos funcionários sobre termos comuns em Dari e deixaram todas as interações com crianças e adultos dizendo ‘Tashakur’, que significa ‘Obrigado’.

O porta-voz acrescentou que o Duque e a Duquesa também conduziram a classe em uma versão de Head, Shoulders, Knees and Toes “que eles compartilhavam era uma das favoritas de seu filho também”.

Archie , de dois anos, mora com os pais e a irmã mais nova, Lilibet , na Califórnia.

A Task Force Liberty foi iniciada em agosto em consonância com a retirada das tropas americanas do Afeganistão. Mais de 1.200 militares estão atualmente estacionados na base para fornecer apoio aos afegãos e suas famílias. Os refugiados recebem moradia temporária, exames médicos e educação, enquanto as residências permanentes são disponibilizadas.

Você pode fazer uma doação para as crianças e suas familias clicando AQUI.

F6CFA6D9-2246-4443-8DD7-81A6CE330954.jpeg EFB9D9AB-A8B8-438B-A5CF-B5A7D0FEC20B.jpeg

Fonte: Standard UK.

Hoje, 11 de novembro, é um dia de reflexão, honra e admiração em muitos países ao redor do mundo.

No Reino Unido e nas Nações da Commonwealth, é o Dia da Lembrança (Remembrance Day), uma comemoração anual daqueles que morreram em guerras mundiais e em conflitos. As famílias usam a Papoula da Lembrança para homenagear soldados cujas vidas foram tiradas, muitas coroas de flores, e coincidindo com o momento em que o Armistício foi assinado para encerrar a Primeira Guerra Mundial – “a 11ª hora do 11º dia do 11º mês” – há um período de silêncio e observância silenciosa em cerimônias realizadas no Reino Unido e em todo o mundo.

Nos Estados Unidos, é o Dia dos Veteranos (Veterans Day), um feriado nacional para reconhecer e aplaudir todos os veteranos das forças armadas dos EUA. Em todo o país, as comunidades locais se reúnem e hospedam eventos para celebrar aqueles que serviram. E hoje no Cemitério Nacional de Arlington – que realiza uma cerimônia anual para homenagear homens e mulheres que usaram o uniforme durante a guerra e tempos de paz – a sagrada Tumba do Soldado Desconhecido está completando 100 anos.

Ao longo da semana, e como reflexo de cada um desses dias, o Duque e a Duquesa de Sussex se comprometeram a lembrar, valorizar e apoiar militares, veteranos e famílias de militares.

Ontem, eles participaram da gala Salute To Freedom a bordo do histórico porta-aviões USS Intrepid na cidade de Nova York. Lá, o Duque premiou membros valentes da comunidade militar que vivem com feridas invisíveis de guerra.

Enquanto homenageamos e refletimos sobre o Dia da Memória no Reino Unido, que compartilha uma data com o Dia dos Veteranos aqui nos Estados Unidos, minha esperança é que todos nós continuemos a apoiar o bem-estar e reconhecer o valor de nossas tropas, veteranos e os toda a família militar e de serviço. Nós e eles somos melhores por isso.

Principe Harry,  o Duque de Sussex.

E hoje, o Duque e a Duquesa visitaram a Base Conjunta McGuire-Dix-Lakehust em Nova Jersey, onde se encontraram e conversaram com militares e almoçaram com famílias de militares.

O Duque e a Duquesa acreditam que apoiar a comunidade militar – que nos apoiou, protegeu e defendeu – está entre as obrigações mais solenes que temos. Ao longo do ano, eles se reuniram, se ofereceram como voluntários e defenderam todos aqueles que serviram ou ainda servem.

 

92BA25AA-8D10-4F0C-A1B1-8F399F2B1A3A.jpeg 2C3B0427-655C-45FC-B9EE-334D3B79FDC9.jpeg

Fonte: Archewell.

Vermelho é a cor de Meghan Markle. Ela nos mostrou uma e outra vez que o tom ardente fica bem com ela, seja com um elegante vestido de capa da Safiyaa para um tapete vermelho real, ou um terno mais casual e moderno para uma visita a Nova York. Ontem à noite, ela acertou outro visual carmesim: um vestido sem mangas de Carolina Herrera com uma ousada fenda na perna. Combinando com saltos tipo slingback combinando, algumas pulseiras e um penteado elegante, ela era um show-stopper total.

A Duquesa de Sussex apareceu com uma aparência ousada enquanto participava do Salute to Freedom Gala no Intrepid Museum de Nova York com seu marido, o Príncipe Harry. O Duque de Sussex, que serviu nas Forças Armadas britânicas por 10 anos, entregou medalhas no evento em homenagem aos militares. Ele estava elegante para o evento em um smoking preto clássico adornado com seus próprios emblemas e uma papoula vermelha, um símbolo que homenageia os militares que morreram na guerra. Meghan usava uma papoula em seu vestido também.

 

a_28429.jpg 1352552514.png AE0222CF-2E86-4D75-8AD7-D83593581896.jpeg

 

Fonte: Elle US.

Na tarde desta terça-feira, a Duquesa de Sussex esteve presente em um dos painéis do Dealbook Online Summit. Meghan conversou no painel “Cuidando da lacuna” em um excelente bate papo com Mellody Hobson e Andrew Ross Sorkin. A conversa girou em torno de como as mulheres podem alcançar a paridade econômica e profissional e o impacto das redes sociais.

Perguntada sobre como ela enxerga sua luta pela licença parental remunerada, Markle disse:

Sempre defendi o que era certo. Eu estive fora dos Estados Unidos por muito tempo, morei no Canadá por sete anos para trabalhar, e depois me mudei para o Reino Unido, voltei e sou mãe de dois filhos e ver que os Estados Unidos são um dos únicos seis países em todo o mundo que não oferecem qualquer forma de licença nacional remunerada simplesmente não faziam sentido.

Questionada sobre se ela se incomoda com a visão que as pessoas tem dela:

 As pessoas que me conhecem bem sabem que sempre fui assim, o que Mellody disse é bom. Se você está baseado em quem você e está baseado na ética e nos valores, você sempre aparecerá.

Em determinado momento, Meghan foi questionada sobre Archewell e de como as coisas estão neste momento para ela e Harry.

Construímos toda a nossa organização durante o COVID. Não teríamos sido capazes de fazer isso na ausência de zoom ou outras formas de apenas nos conectar porque é um negócio global, certo? Temos membros da equipe que estão no Reino Unido e também em outros países. Eu acho que é muito bom estar pessoalmente. Ser capaz de interagir dessa forma. Espero que o híbrido continue a funcionar, mas que as pessoas também reconheçam que, se você pode fazer isso remotamente, não há nada que supere a conexão real face a face. Queria que você estivesse aqui, Mellody.

Nós lideramos pelo exemplo. Somos uma empresa pequena, mas temos as políticas que desejamos. Em termos de ter um staff multicultural, é multicultural porque queremos uma diversidade que se esquive das pessoas, mas sim de opiniões e pontos de vista. Soma-se às corridas da empresa e será possível entregar, seja na produção ou no nosso lado da fundação. Como meu marido e eu começamos a construir isso (Archewell) sozinhos, estamos fazendo da mesma forma que faríamos se fôssemos funcionários dela. Trate as pessoas como você quer ser tratado, é assim que sempre me movi.

Em determinado momento, Andrew Ross Sorkin questiona Meghan sobre as noticias que estão saindo sobre ela nos tabloides britânicos e sobre o processo que ela move contra o DailyMail:

Recomendo que você não leia tabloides, porque isso não é saudável para ninguém. Esperançosamente, um dia eles virão com uma etiqueta de advertência, como cigarros. Isso é tóxico para sua saúde mental. Em termos de recurso, ganhei o caso. Essa questão vem acontecendo, quando eu não tinha nenhum filho, Mellody agora tenho dois filhos, é um processo árduo, mas sou eu defendendo o que é certo. Isso é importante para todos, neste caso ou nas coisas sobre as quais falamos hoje. A certa altura, por mais difícil que seja, você sabe a diferença entre o certo e o errado e deve lutar pelo que é certo.

Meghan e Harry estão neste momento em Nova York e nossa expectativa é de que mais coisas aconteçam essa semana. Em breve o vídeo legendado deste bate papo estará disponível em nossas plataformas oficiais.