Talvez o caminho para a cura comece com três palavras simples:

Você está bem?

Era uma manhã de julho que começou tão normalmente quanto qualquer outro dia: Faz o café da manhã. Alimentei os cachorros. Tomei vitaminas. Encontrei a meia que falta. Peguei o giz de cera desonesto que rolou por baixo da mesa. Joguei meu cabelo em um rabo de cavalo antes de tirar meu filho de seu berço.

Depois de trocar a fralda, senti uma cãibra forte. Eu me joguei no chão com ele em meus braços, cantarolando uma canção de ninar para nos manter calmos, a melodia alegre em forte contraste com a minha sensação de que algo não estava certo.

Eu sabia, enquanto agarrava meu primeiro filho, que estava perdendo meu segundo filho.

Horas depois, eu estava deitada em uma cama de hospital, segurando a mão do meu marido. Senti a umidade de sua palma e beijei seus dedos, molhados com nossas lágrimas. Olhando para as paredes brancas e frias, meus olhos ficaram vidrados. Tentei imaginar como nos curaríamos.

Eu me lembrei de um momento no ano passado quando Harry e eu estávamos terminando uma longa turnê na África do Sul. Eu estava exausta. Eu estava amamentando nosso filho pequeno e tentando manter uma expressão corajosa aos olhos do público.

“Você está bem?” um jornalista me perguntou. Respondi-lhe honestamente, sem saber que o que eu disse iria ressoar com tantas – mães novas e mais velhas, e qualquer um que, à sua maneira, sofreu silenciosamente. Minha resposta improvisada parecia dar às pessoas permissão para falar sua verdade. Mas não foi responder honestamente que mais me ajudou, foi a própria pergunta.

“Obrigado por perguntar,” eu disse. “Poucas pessoas perguntaram se eu estou bem.”

Sentada em uma cama de hospital, vendo o coração do meu marido se partir enquanto ele tentava segurar os pedaços do meu, percebi que a única maneira de começar a curar é primeiro perguntando: “Você está bem?”

Nós estamos? Este ano trouxe para muitos de nós ao nosso ponto de ruptura. A perda e a dor atormentaram cada um de nós em 2020, em momentos ao mesmo tempo difíceis e debilitantes. Já ouvimos todas as histórias: uma mulher começa o dia, tão normal quanto qualquer outro, mas depois recebe uma ligação informando que perdeu sua mãe idosa para a Covid-19. Um homem acorda se sentindo bem, talvez um pouco lento, mas nada fora do comum. Ele deu positivo para o coronavírus e, em poucas semanas, ele – como centenas de milhares de outros – morreu.

Uma jovem chamada Breonna Taylor vai dormir, assim como todas as noites anteriores, mas ela não vive para ver o amanhecer porque uma batida policial dá terrivelmente errado. George Floyd deixa uma loja de conveniência, sem perceber que dará seu último suspiro sob o peso do joelho de alguém e, em seus momentos finais, chama por sua mãe. Protestos pacíficos tornam-se violentos. A saúde rapidamente se transforma em doença. Em lugares onde antes havia comunidade, agora há divisão.

Além de tudo isso, parece que não concordamos mais sobre o que é verdade. Não estamos apenas brigando por nossas opiniões sobre os fatos; estamos polarizados quanto ao fato de o fato ser, de fato, um fato. Não sabemos se a ciência é real. Estamos em desacordo sobre se uma eleição foi ganha ou perdida. Estamos em desacordo quanto ao valor do compromisso.

Essa polarização, juntamente com o isolamento social necessário para combater esta pandemia, nos fez sentir mais sozinhos do que nunca.

Quando eu estava no final da adolescência, sentei-me no banco de trás de um táxi, zunindo pela agitação de Manhattan. Olhei pela janela e vi uma mulher em seu telefone em uma torrente de lágrimas. Ela estava parada na calçada, vivendo um momento privado muito publicamente. Na época, a cidade era nova para mim e perguntei ao motorista se deveríamos parar para ver se a mulher precisava de ajuda.

Ele explicou que os nova-iorquinos vivem suas vidas pessoais em espaços públicos. “Amamos na cidade, choramos na rua, nossas emoções e histórias lá para qualquer pessoa ver”, lembro-me dele me contando. “Não se preocupe, alguém naquela esquina vai perguntar se ela está bem.”

Agora, todos esses anos depois, em isolamento e confinamento, lamentando a perda de um filho, a perda da crença compartilhada por meu país no que é verdade, penso naquela mulher em Nova York. E se ninguém parasse? E se ninguém a visse sofrendo? E se ninguém ajudasse?

Eu gostaria de poder voltar e pedir ao meu taxista para parar. Esse, eu percebo, é o perigo de viver em silos – onde momentos tristes, assustadores ou sacrossantos são vividos sozinho. Ninguém para para perguntar: “Você está bem?”

Perder um filho significa carregar uma dor quase insuportável, vivida por muitos, mas falada por poucos. Na dor de nossa perda, meu marido e eu descobrimos que em um quarto com 100 mulheres, 10 a 20 delas sofreram aborto espontâneo. No entanto, apesar da incrível semelhança dessa dor, a conversa permanece um tabu, cheia de vergonha (injustificada) e perpetuando um ciclo de luto solitário.

Alguns corajosamente compartilharam suas histórias; eles abriram a porta, sabendo que quando uma pessoa fala a verdade, isso dá licença para todos nós fazermos o mesmo. Aprendemos que quando as pessoas perguntam como qualquer um de nós está indo, e quando realmente ouvem a resposta, com o coração e a mente abertos, o fardo da tristeza geralmente fica mais leve – para todos nós. Ao sermos convidados a compartilhar nossa dor, damos os primeiros passos em direção à cura.

Portanto, neste Dia de Ação de Graças, quando planejamos um feriado diferente de todos os anteriores – muitos de nós separados de nossos entes queridos, sozinhos, doentes, assustados, divididos e talvez lutando para encontrar algo, qualquer coisa, pelo qual ser gratos – vamos nos comprometer a perguntar aos outros, “Você está bem?” Por mais que possamos discordar, por mais distantes fisicamente que estejamos, a verdade é que estamos mais conectados do que nunca por causa de tudo o que suportamos individual e coletivamente este ano.

Estamos nos ajustando a uma nova normalidade em que os rostos são ocultados por máscaras, mas isso nos força a olhar nos olhos uns dos outros – às vezes cheios de calor, outras vezes de lágrimas. Pela primeira vez, em muito tempo, como seres humanos, estamos realmente nos vendo.

Estamos bem?

Nós ficaremos.

 

Caso você retire alguma parte dessa tradução do nosso site, dê os devidos créditos.

Artigo original: The New York Time.

Hoje Meghan e Harry comemoraram o primeiro aniversário de seu filho, Archie. Em um vídeo divulgado pelo projeto Save The Children, o Duque e a Duquesa compartilharam um vídeo de Archie, onde Meghan lia o livro Duck! Rabbit! para o filho enquanto Harry filmava toda a cena. Antes de focarmos no vídeo em si, vamos dar um panorama sobre o projeto Save The Children e a campanha Save with Stories da qual a família Sussex participou.

A Save The Children é uma organização não governamental de defesa dos direitos da criança no mundo, ativa desde 1919, dedicando-se tanto a prestar ajuda humanitária de urgência como ao desenvolvimento de longo prazo, através do apadrinhamento de crianças. São 117 países que recebem o trabalho da Save The Children e milhões de crianças são ajudadas.

As atrizes Jennifer Garner e Amy Adams em conjunto lançaram a campanha Save with Stories com a Save the Children e No Kid Hungry. A Save with Stories oferece através do instagram e do facebook diversão e educação para crianças e pais em meio a pandemia de COVID-19. A campanha que visa ajudar crianças dos EUA e do Reino Unido, já contou com a colaboração de diversos famosos ao redor do mundo. Através de uma plataforma própria, você pode fazer sua doação para ajudar essas crianças. Como fomos informados através de seus representantes de imprensa, o Duque e a Duquesa de Sussex confirmaram que veríamos Archie em seu primeiro aniversário.

Meghan e Harry que apesar de se manterem afastados da grande mídia, vem desenvolvendo trabalhos voluntários com novas instituições, além de continuar firmes com as organizações que são patronos, com toda certeza conheceram o Save with Stories e decidiram que seria o melhor espaço para comemorar o primeiro aniversário do filho: Lançando luz em um projeto incrível e mostrando o quão grande e esperto está Archie:

Meghan, a Duquesa de Sussex, lê ” Duck! Rabbit! para o aniversário de Archie

” Duck! Rabbit!!” com Meghan, a Duquesa de Sussex (e Harry, o Duque de Sussex atrás das câmeras), leram para o filho Archie no seu primeiro aniversário. Feliz aniversário, Archie!

Obrigado #DuchessMeghan por nos ajudar a angariar fundos urgentes para nosso apelo ao coronavírus, lendo “Duck! Rabbit” – Escreveu a Save The Children UK quando lançou o IGTV da leitura da pequena família.

O vídeo que surpreendeu todos os fãs do casal contou com a narração da Duquesa e com Harry filmando e fazendo sons para ilustrar a história assim como sua esposa. Archie que queria mesmo folhear o livro deixou seus pais desconcertados quando pegou outro livro claramente querendo chamar atenção de seus pais. Archie com agora um ano de idade está extremamente esperto e enorme. Esse vídeo foi um balsamo para todos nós em meio a pandemia.

Uma coisa que nos surpreendeu foi um adesivo na capa do livro onde dizia “Archie’s book club” (Clube do livro de Archie) e para nossa surpresa, além desse livro, Archie ganhou outros títulos da apresentadora Oprah Winfrey. Oprah revelou que deu a Archie uma grande coleção de livros como um presente de “bem-vindo ao mundo” no ano passado.

Querido, tenho um presente padrão que faço para as pessoas com quem realmente me importo. Não sei o nome ou o sexo do bebê, mas esse bebê terá livros suficientes para durar a vida inteira!

Voltando para as atrizes Jennifer Garner e Amy Adams, em suas redes sociais as mesmas agradeceram a Harry e Meghan por apoiarem a campanha e dar ao mundo um pouco de Archie nessa data tão especial:

Muito obrigada Meghan, a Duquesa de Sussex, por ler para nós! Amo esse livro e feliz aniversário de um ano para Archie! – Amy Adams via Instagram Stories.

Queridos Meghan e Harry – Obrigada por compartilharem seu lindo filho com o mundo e nos dar permissão de participar na celebração de seu primeiro aniversário.

Nós estamos felizes e agradecidos que vocês escolheram @savewithstories pra marcar esse dia especial e em fazê-lo – aumentaram a visibilidade do trabalho da @savethechildren nos Estados Unidos e no Reino Unido e ajudaram tanto a alimentar quanto educar crianças nesses tempos de tanta necessidade.

Mais que tudo – assistir você docemente falar pelas imagens enquanto seu inteligente Archie passava as páginas – nos anima e nos lembra que o que pode parecer um pato talvez se transforme em um coelho. Obrigada por essa alegria e importante mudança de perspectiva.

Tudo de bom,

Jen – Jennifer Garner via Instagram.

Mais uma vez desejamos ao Archie todas as melhores coisas da vida. Desde que ele chegou na vida de seus pais, todas as coisas mudaram e tudo que Meghan e Harry querem é dar o melhor a esse pequeno garotinho. Archie veio para espalhar amor e união. Veio para unir pessoas e em seu nome, vários projetos incríveis foram iniciados por fãs de seus pais e os objetivos foram concluídos com sucesso. A iniciativa Sussex Great Forest que foi criada para comemorar o aniversário de Archie se encerra hoje com 115 mil arvores plantadas e o Archie Day, que destacou instituições para receberem doações em nome de Archie arrecadou mais de 50.000 dólares.

Daqui vinte anos Archie, você conseguirá entender o tamanho da influencia de seus pais e todo amor que todos nós desejamos diariamente para você. Obrigada a Meghan e Harry por nos proporcionarem esse momento tão importante e feliz.

Fique em casa (se puder) e fique seguro.

É de conhecimento de todos que Meghan e Harry decidiram manter privadas as suas escolhas sobre o nascimento de seu primeiro filho. Segundo o DailyMail, apesar do desejo da duquesa e de todo o preparo durante a gestação, os planos de ter um parto humanizado em casa falharam. Escoltada pela equipe de segurança Scotland Yard e acompanhada por Harry, Meghan foi levada para um hospital privado na tarde de ontem (05/05). Suspeita-se que o hospital seja o Portland, que é o mais próximo a Windsor. Vale a pena ressaltar que a duquesa Sarah de York deu a luz as princesas Beatrice e Eugenie neste hospital.

Não se sabe ainda qual foi o tipo de parto que Meghan teve, mas é certo que o bebê estava atrasado – cerca de uma semana – como o próprio Harry disse em entrevista esta tarde:

Estou muito animado em anunciar que Meghan e eu tivemos um menino esta manhã, um menino muito saudável. Estou incrivelmente orgulhoso da minha esposa. É brilhante, estou absolutamente feliz!

A criança nasceu as 5h26min (horário de Londres, sendo 01h26min horário de Brasília) mas o anuncio de trabalho de parto somente foi feito as 13h39 (horário de Londres, sendo 09h39 no horário de Brasília) e as 14h40 foi feito o anuncio do nascimento, contendo o sexo e o peso do bebe, contrariando o plano inicial de divulgação do local do nascimento.

Os Royals sênior não foram informados que Meghan seria levada a um hospital. Eles só obtiveram informações quando a criança nasceu. Vale a pena lembrar que a Rainha deve ser a primeira a saber, do nascimento e no momento que a criança veio ao mundo, Sua Majestade estava dormindo. Ela foi informada quando acordou e somente depois outros membros da família foram avisados.

Não podemos esquecer que no comunicado enviado a impressa, os Spencer foram nomeados, indicando que Harry queria que seus familiares maternos estivessem na lista dos primeiros a saber da noticia antes da imprensa, assim como Doria Ragland, mãe de Meghan. Acredita-se que o fato de haver muitas pessoas a serem avisadas antes do público tenha atrasado que todos os anúncios tenham sido feitos com mais rapidez.

As 16h45min o cavalete cerimonial foi colocado no pátio do Palácio de Buckingham e ficará por 24h para o conhecimento do publico em geral.

A Rainha e a Família Real estão encantados com a notícia de que Sua Alteza Real A Duquesa de Sussex deu à luz com segurança a seu filho às 05:26 de hoje. Sua Alteza Real e seu filho estão bem.

Gill Walton, chefe-executiva e secretária-geral do Royal College of Midwives (organização britânica de parteiras) fez uma declaração publica, sugerindo que as parteiras da organização estiveram junto de Meghan no momento do parto:

Desejamos a eles a melhor de saúde e felicidade no futuro. Também gostaria de agradecer às parteiras e outros profissionais de saúde que apoiaram a Duquesa e sua família durante a gravidez e que a apoiarão depois do parto.

O palácio e seus cortesãos se recusam a confirmar a informação de que Meghan deu a luz no Portland Hospital, mas recolhessem que em no máximo 42 dias o local de nascimento será conhecido, pois a certidão de nascimento da criança se tornará pública.

 

CURIOSIDADES:

  1. O garotinho ocupa neste momento o 7º lugar na linha de sucessão e é o oitavo bisneto da Rainha Elizabeth II e do Príncipe Philip;
  2. Ele também é o primeiro bebê de raça mista a nascer de um royal sênior;
  3. Não se tem certeza se a criança será estilizada como “Sua Alteza Real” e se receberá o titulo de príncipe. O Rei George V limitou o uso do título “Sua Alteza Real” em 1917 a somente os filhos e netos do soberano da linhagem masculina. Mas a Rainha poderá emitir uma carta patente mudando isso;
  4. Quando Charles for ascender ao trono, automaticamente o bebê será “Sua Alteza Real Príncipe de Sussex”, pois será neto do soberano pela linhagem masculina;
  5. Se Harry e Meghan aceitarem títulos para a criança, ele será Conde/Lorde de Dumbarton (uma aceitação deles para NÓS indica que no reinado do Príncipe Charles, ele se tornará Sua Alteza Real Príncipe de Sussex), um dos títulos menores de seu pai;
  6. Fontes acreditam que o casal pode optar por rejeitar qualquer tipo de título, tornando seu filho um cidadão privado.

Na próxima quarta-feira teremos mais informações, então ative nas notificações em nossas redes sociais.

Com a eminente chegada do baby Sussex enfim tivemos um comunicado oficial sobre como Meghan e Harry resolveram tratar a situação.

Muito se comentava sobre a duquesa dar à luz no Lindo Wing (onde Catherine deu a luz aos pequenos Cambrigdes) e também saíram notícias sobre um provável parto em casa. A imprensa recebeu um documento da equipe dos Sussexes, agora baseada no Palácio de Buckingham com os seguintes dizeres:

 

Tradução: Nota Operacional

Comunicação para a mídia antes do nascimento do bebê do Duque e da Duquesa de Sussex

O Duque e a Duquesa de Sussex estão muito agradecidos pela benevolência das pessoas do Reino Unido e do mundo em sua preparação para o nascimento de seu bebê. Suas altezas reais tomaram a decisão pessoal de manter os planos da chegada de seu bebê privadas. O Duque e a Duquesa esperam ansiosos para compartilhar as boas notícias com todos, assim que tenham tido a oportunidade de celebrar privadamente como uma nova família.

 

Sendo assim, não teremos a família Sussex no mesmo esquema que fimos os Cambrigde após o parto da Kate, o famoso photocall.

Reporters reais entretanto especulam que após alguns dias do parto, seja convocado um photocall em Windsor para que alguns fotógrafos façam imagens da nova família e essas fotos sejam vendidas para todo o mundo. Eles também acreditam que caso esse photocall em Windsor não aconteca, teremos a primeira imagem da criança no instagram dos pais, o SussexRoyal. Vale ressaltar que a realeza sempre divulga uma foto da criança em suas redes sociais certo tempo após o parto.

Apesar da escolha de Meghan e Harry não divulgarem o local do parto, as outras informações serão divulgadas ao público normalmente. Quando a duquesa entrar em trabalho de parto, a mídia será informada após o conhecimento da notícia pela Rainha Elizabeth II como manda o protocolo. A mídia e o público também serão informados quando o nascimento de fato acontecer e o sexo será divulgado em seguida. Como manda a tradição, cerca de dois dias depois, o nome da criança será anunciado.

Lembrando que nada foi dito sobre se a criança será estilizada como Sua Alteza Real e se terá o título de Príncipe ou Princesa. Até o exato momento o filho dos Sussexes será chamado de Conde de Dumbarton (se for menino) e Lady Mountbatten-Windsor (caso seja uma menina). Não se esqueçam que a partir do momento que o Príncipe Charles for coroado, a criança passará a ser Sua Alteza Real, Príncipe\Princesa de Sussex.

ATUALIZAÇÃO: A mídia alemã relevou acidentalmente ou não, mais planos sobre o parto da Duquesa de Sussex revelado hoje mais cedo pelo Palácio.

Tradução: Detalhes para facilitação da mídia disponível em Windsor e Londres.

Rota do palácio.

Depois de alguns dias do nascimento, o Duque e a Duquesa vão participar de um PhotoCall com seu novo bebê na área do Castelo de Windsor. Isso vai ser capturado por uma rota do palácio composta por 1 repórter, 1 fotógrafo e 1 equipe de TV (apenas câmera).

Transmissão de posição fixa – Long Walk, Windsor.

Uma larga posição fixada para transmissões e repórteres vai ser facilitada na Long Walk em Windsor. Terá passagem liberada apenas quando for anunciado que a duquesa está em trabalho de parto. A facilitação será operacionalizada de 6 horas da manhã até às 11 da noite e por 72 horas depois que a duquesa tiver tido o bebê.

 

Fica entendido que será nessa rodovia entre Windsor e Londres (The Long Walk) que os repórteres reais serão informados sobre quando Meghan entrar em trabalho de parto e quando o nascimento finalmente acontecer.

Sobre o Photocall, ele acontecerá no Castelo de Windsor dias após o parto e deverá acontecer na mesma distancia onde foram feitas as fotos e vídeos da saída dos Sussexes para a recepção noturna de casamento oferecida pelo Príncipe Charles. Fique atento em nossas redes sociais, pois o bebê nasce nas próximas semanas e faremos uma cobertura completa.

Uma das nossas seguidoras (Victoria) fez um post no twitter sobre as apostas em relação ao baby Sussex.

É muito comum as casas de apostas abrirem categorias especiais quando se trata do nascimentos de royals e com Meghan e Harry não foi diferente. O site Oddschecker colocou a disposição para apostas asa seguintes categorias: Sexo, nome e horário de nascimento. Vamos as apostas?

 

SEXO

Por mais que a internet em peso sonhe que Meghan esteja gravida de uma menina, mesmo assim os britânicos apostam em um menino. A porcentagem ficou em 71.43% apostam em um menino e 28.57% em uma menina.

E você, qual a sua aposta para o sexo do baby Sussex?

Siga em tempo real as apostas clicando AQUI.

 

NOME

Aposta de nomes é um verdadeiro fascínio. E a lista é enorme! Os nomes mais populares entre os apostadores são: Diana, Alice, Frances, Charles e Grace.

E você, qual a sua aposta para o nome do baby Sussex?

Siga em tempo real as apostas e veja a lista completa de nomes clicando AQUI.

 

DIA DA SEMANA

Vocês já pararam para pensar em que dia da semana Meghan dará a luz. Nós não, mas os apostadores sim! Os dias mais apostados são terça-feira, domingo e sábado. Com as seguintes porcentagens respectivamente: 57.14%, 28.57% e 14.29%.

E você, aposta em qual dia da semana?

Siga em tempo real as apostas clicando AQUI.

 

DIA OU NOITE

Acreditem ou não, mas existe a aposta sobre se o bebê de Meghan e Harry nascerá durante o dia ou a noite. 45.45% acreditam que o baby Sussex nascerá durante o dia e 54.55% aposta que o bebê nascerá à noite.

E você, qual a sua aposta?

Siga em tempo real as apostas clicando AQUI.

 

HORÁRIO DO NASCIMENTO

Os apostadores por incrível que pareça estão divididos quanto ao horário. Os horários mais apostados são de 12h00min às 15h59min e de 15h59min às 19h59min.

Qual sua aposta?

Siga em tempo real as apostas clicando AQUI.

 

APOSTAS COMPLETAS

Existe também uma categoria que engloba todas as apostas e a lista é enorme.

Siga em tempo real as apostas clicando AQUI.

Conta pra gente nos comentários ou nas nossas redes sociais quais as suas apostas!

Fonte: Casa de apostas Oddschecker

Grávida de seu primeiro filho, a Duquesa de Sussex entrou oficialmente em licença maternidade. Meghan não terá mais compromissos oficiais públicos. Sua ultima aparição foi na ultima segunda (11/03) durante o Commonwealth Day, onde pela manhã, ela e o Duque de Sussex participaram de uma recepção na Canada House e mais tarde de uma missa na Abadia de Westminster, com outros membros da realeza.

A Duquesa continua fazendo reuniões privadas com os chefes das instituições das quais ela é patrona. Meghan teve algumas reuniões privadas esta semana com o National Theatre e a  Association of Commonwealth Universities e na semana passada, Mayhew. Não temos ainda uma data final para o fim dessas reuniões.

Toda funcionária grávida tem direito há até 52 semanas (01 ano) de licença maternidade (Full Statutory Maternity Leave) no Reino Unido. A mãe não precisa tirar as 52 semanas, ela decide quanto tempo ficará afastada do trabalho nesse período, mas é obrigatório sair duas semanas após o nascimento do bebê. Este tempo é divido entre antes e após o nascimento. O Palacio de Kensington ainda não fez nenhum pronunciamento sobre onde a Duquesa dará a luz e nem sobre os títulos que o bebê terá. Isso deverá ser feito nas próximas semanas, já que a previsão é que a Duquesa de Sussex dê a luz entre o fim de abril e começo de maio.