Um investigador particular assumiu que foi pago pelo britânico The Sun para obter informações pessoais de Meghan Markle em 2016, logo no início de seu relacionamento com o príncipe Harry. O investigador de nome Daniel Hanks disse a BCC News que além de ser pago pelo The Sun, ele conseguiu todas as informações pessoais da Duquesa de forma ilegal.

Além de coletar informações de Meghan, Hanks obteve informações privadas dos pais de Markle, seu ex-marido, colegas de trabalho e outros membros de sua família. O The Sun afirma que pediu que Daniel fizesse as investigações, mas que pediu que todos os dados fossem coletados legalmente. Daniel Hanks diz que o tabloide britânico estava ciente que os não havia como coletar aqueles dados de forma legal.

O relatório foi chamado de “relatório abrangente sobre Meghan e sua família” e nele continham o numero de telefone de Markle, além de todos seus endereços e número de seguro social. Os dados abrangiam seus familiares.

A BBC News relata que nos Estados Unidos, investigadores particulares licenciados tem acesso total aos bancos de dados que possuem informações pessoais, mas esse acesos só é permitido em caso de relatórios judiciais e não para fins jornalísticos, o que toda a ação de Hanks e The Sun ilegal. Daniel Hanks afirmou que:

Praticamente tudo o que descobri, eles puderam descobrir por meios legais – com exceção dos números da segurança social. Quando você tem essa informação … é a chave do reino.

Hanks também tinha como alvo principal o meio-irmão problemático de Meghan, Thomas Markle Junior, e sua mãe Doria Ragland. Também segundo ele, o The Sun tentou descobrir um pouco mãos sobre o ex-marido e seus ex-namorados. Mas nada disso adiantou, pois NENHUM escândalo envolvendo Meghan foi encontrado.

Não é nenhuma novidade para quem acompanha Meghan e Harry o papel de destaque que o The Sun desempenhou ao longo desses anos no assassinato da reputação de Markle. O príncipe Harry neste exato momento está processando o The Sun por alegações de invasão de seu telefone celular em 2011. Não podemos esquecer que logo no inicio do relacionamento publico dos Sussex em 2016, o The Sun publicou um extenso artigo afirmando que Harry “bombardeou” Meghan com mensagens de texto após um fim de semana que ambos passaram juntos na casa de Markle em Toronto.

Hanks descobriu um endereço em nome de Meghan em West Hollywood e se dirigiu até lá no mesmo instante. Sob instruções diretas do The Sun, Hanks secretamente tirou fotos da propriedade arborizada, para que o jornal pudesse contratar repórteres e fotógrafos especializados para vigiá-la. O mesmo foi repetido com o bangalô de Thomas Markle no México.

Daniel Hanks relata que no dia seguinte após as fotos da propriedade na California, a correspondente real Emily Andrews, que naquele momento trabalhava no The Sun e hoje escreve para o DailyMail, escreveu sua primeira história sobre Meghan e Harry para o jornal. A história de Emily descrevia o relacionamento do novo casal totalmente baseado nas informações colhidas por Hanks.

Ao ser questionada pelo Byline Investigates, Emily Andrews nega que conheça Daniel Hanks.

Nunca ouvi falar de Dan Hanks, nem nunca o contratei e/ou dei uma tarefa a ele. Nunca tomei parte em nenhuma decisão de contratá-lo e/ou colocá-lo à prova. Não tive conhecimento de seu envolvimento em nenhum dos assuntos que você descreve. Afirmar, sugerir ou inferir o contrário seria completamente falso.

Daniel Hanks que já está aposentado, afirma que assistir a entrevista de Meghan e Harry para Oprah, o levou a se manifestar e pedir desculpas.

Peço desculpas a Meghan Markle e o Príncipe Harry por alvejarem a família dela, especialmente o pai, em nome do The Sun. Eu nunca quis causar mal a Meghan Markle e não teria feito o trabalho se soubesse que isso levaria a todos esses problemas. Eu também queria aproveitar esta oportunidade para me desculpar com a Rainha, porque eu sei que o mal que fiz pelo The Sun afetou toda a família.

Estou apenas fazendo isso para limpar minha consciência. Lamento profundamente o que fiz … e estou disponível se seus advogados (de Meghan e Harry) precisarem falar comigo. Estou pronto para lhe dar o que eu saber. Fornecer qualquer informação. Eu só queria que isso nunca tivesse acontecido.

Em um comunicado, o News Group Newspapers – editores do The Sun – disse:

Em 2016, The Sun fez um pedido legítimo ao Sr. Hanks para pesquisar detalhes de contato e endereços de Meghan Markle e possíveis parentes usando bancos de dados legais que ele tinha uma licença para usar. Ele recebeu $250.

O Sr. Hanks não foi encarregado de fazer nada ilegal ou violar nenhuma lei de privacidade – na verdade, ele foi instruído claramente por escrito a agir legalmente e assinou um compromisso legal de que o faria.

As informações que ele forneceu não podiam e não levantavam quaisquer preocupações de que ele tivesse usado práticas ilegais para obter as informações. Em nenhum momento The Sun solicitou o número do seguro social de Meghan Markle, nem utilizou as informações que ele forneceu para qualquer prática ilegal.

O The Sun cumpre todas as leis e regulamentos e mantém protocolos rígidos em relação à obtenção de informações de terceiros. A conformidade estrita está em vigor para cobrir todos os nossos relatórios.

Após toda a investigação do Byline Invastigates e as revelações de Hanks, a assessoria de imprensa do Duque e da Duquesa de Sussex se pronunciou:

O Duque e a Duquesa de Sussex sentem que hoje é um momento importante da reflexão para a indústria da mídia e a sociedade em geral, já que este relatório investigativo mostra que as práticas predatórias dos dias passados ainda estão em andamento, ceifando danos irreversíveis para famílias e relacionamento. Eles são gratos aos que trabalham na mídia e defendem os valores do jornalismo, que são necessários agora mais do que nunca.

Provavelmente Harry e seus advogados tentará usar as declarações de Daniel Hanks no processo do Duque contra o The Sun.

O domingo, 7 de março trouxe consigo um abalo para o mundo. O Duque e a Duquesa de Sussex foram entrevistados por Oprah Winfrey em um extenso programa de duas horas na emissora CBS. A entrevista foi carregada de sinceridade e revelações bombásticas.

Já no inicio da conversa, Oprah deixou bem claro que nenhuma das repostas foi combinada anteriormente e que Meghan e Harry não receberam nenhuma compensação financeira para ceder aquela entrevista. Apesar de cenas exclusivas terem sido gravadas na casa dos Sussexes em Montecito na California, o cenario do bate papo, também ocorreu na cidade californiana, mas na casa de um amigo do casal.

Como já sabíamos, o inicio da entrevista contou somente com Meghan e Oprah. A Duquesa contou sobre seu primeiro encontro com a Rainha Elizabeth II e que contou com a ajuda de Harry e de Sarah, Duquesa de York para fazer a cortesia de maneira correta para a Rainha. Meghan a todo momento teceu vários elogios a monarca e disse que seu relaciomento com a Rainha sempre foi o melhor possivel.

A Duquesa também conta que a realidade dentro de uma monarquia é totalmente diferente daquilo que pensamos e que ela não foi preparada pela insttuição em nenhum momento. O que se sabe ao longo de decadas é que as pessoas recém chegadas a firma, sempre recebem um treinamento para que tudo continue em seu rito perfeito. Mas com Markle isso não aconteceu. Provavelmente ela não recebeu este apoio pois tudo foi feito para que o casamento não acontecesse.

Falando no casamento real, Meghan revelou que ela e Harry se casaram três dias antes do casamento real mais assistindo de todos os tempos. Ela disse que ela e Harry pediram que o Arcebispo fosse até eles e os desse a benção. Com somente os três no jardim, eles tiveram seu momento de amor intimista.

Vocês podem assistir todo o casamento real legendado clicando AQUI.

Oprah segue a entrevista e toca em um assunto que assombrou a Duquesa por anos: Meghan ter feito Kate chorar. Seis meses após o casamento dos Sussexes, manchetes tomaram conta do Reino Unido, dizendo que Meghan havia feito sua cunhada, Kate Middleton, chorar devido a escolha dos vestidos das daminhas do casamento de MEGHAN. Foi neste momento que Meghan foi feita de vilã e Kate de mocinha. Meghan vilã por fazer escolhas em seu próprio casamento.

Winfrey perguntou a Markle se a história era verdadeira, e ela disse que não e que na verdade, a história foi toalmente o contrário:

Ela estava triste com algo na semana do casamento. Mas ela me mandou flores e a gente se resolveu. Ela (Kate) estava chateada com o vestido das meninas. Ela me fez chorar e machucou meus sentimentos. Não acho que seja justo entrar nos detalhes, porque ela pediu desculpas e eu perdoei.

Não tô compartilhando isso pra desprezarem a Kate, mas porque é preciso que saibam a verdade. Não precisa da polaridade, se você me ama, não precisa a odiar nem vice versa.

Precisamos abrir um parentese neste assunto. Obviamente ninguém é 100% tudo nesta vida. O grande problema apontado pelos fãs dos Sussexes ao longo dos anos é que Kate se beneficiou de toda essa narrativa e que em nenhum momento pudemos ver um aceno negativo dela ou do Palácio de que a história não era verdadeira, pelo contrário. As fontes do Palácio e os amigos proximos da Duquesa de Cambridge, sempre dizeram questão de ensosar a história, de que Meghan fez Kate chorar por discordância em prepataivos de seu proprio casamento.

Meghan disse que mesmo que tenha resolvido todo o assunto com Kate, ela ficou extremamente chateada pelo assunto ter sido vazado para a imprensa, mesmo após ter se passado meses e mesmo com todo seu esforço para preservar Kate. Markle disse que esperou que Middleton quisesse resolver a situação, mas que prefere acreditar que o Palácio a silenciou assim como aconteceu com ela. Para a Duquesa de Sussex, a mídia contribuiu muito para o assassinato de seu caráter, criando uma rivalidade inexistente com a Duquesa de Cambridge.

Em um momento chave da entrevista, Oprah Winfrey pergunta a Meghan se ela ficou em silêncio por conta própria ou foi silenciada e Markle diz que foi silenciada. A Duquesa disse que como ela sempre foi uma mulher independente e com voz, foi extremamente difícil para ela não se defender, mas que confiou que na palavra do Palácio, de que ela seria protegida. Segundo Meghan, seu maior arrependimento foi ter acreditado que eles a defenderiam e que quando ela percebeu que o Palácio defendia outros membros da família, por coisas mínimas, eles negavam defesa a ela e Harry pelas inverdades que eram ditas sobre eles.

Meghan Markle disse inúmeras vezes que os funcionários do Palacio diziam a ela que todos eles passaram por situações difíceis com a mídia, mas que ela acredita que mídia grosseira e mídia racista são coisas totalmente diferentes.

Meghan conta que os últimos 4 anos de sua vida não foram nada como pareceram. Ela disse que não podia sair. Que ela saiu duas vezes de casa, que se sentia solitária. A Duquesa enfrentou uma grande depressão durante sua gravidez. Markle se abriu com sinceridade sobre seus problemas de saúde mental. Ela contou que em dado momento pensou em tirar sua própria vida.

Ela contou com a ajuda de Harry, mas também procurou pela instituição para que ela conseguisse se internar em algum lugar, mas que o pedido foi negado pelo Palácio, mas que eles alegaram que não seria possível, pois seria ruim para a imagem da monarquia.

Então a entrevista focou em Archie, o filho mais velho de Meghan e Harry. Ela conta como foi enfrentar seus problemas de saúde mental e ainda por cima, saber que a monarquia não estava disposta a proteger seu filho.

M: Eles não queriam que o bebê fosse uma princesa/príncipe, disseram que não receberia segurança.
O: Era importante o Archie ser Príncipe?
M: Se isso significa ele ter segurança, com certeza. Mas eu não me importo com nada disso, eu peço pra me chamarem de Meghan. Quando o pai do Harry se tornar rei automaticamente o Archie se tornará príncipe. Não é direito deles (Staff do Palácio) tirar isso do Archie. Eles querem mudar a regra para o Archie, por que?

Meghan em dado momento disse que a instituição se preocupou com o quão escuro seria o tom de pele de Archie e que isso afetaria sim, a conceção de títulos a criança. Markle disse que Harry quem ouviu esse questionamento, que ela pessoalmente nunca foi questionada sobre isso, mas que foi um membro da família quem questionou seu marido sobre.

Markle não quis revelar quem foi extremante racista com um bebê que se quer havia nascido, e disse seria muito desastroso pra instituição dizer quem estava questionando o quão escuro Archie seria. Harry disse que jamais repetiria a pergunta em voz alta e nem revelaria quem fez o questionamento, mas que foi chocante o que ele ouviu.

Perguntada por Oprah se ela tinha medo das represálias do Palácio, Meghan foi enfática ao dizer que não, já que ela havia perdido muito ao decorrer do caminho.

Muito já foi perdido… Eu perdi meu pai, perdi um bebê, quase perdi meu nome. Eu não sei como eles poderiam esperar que depois de todo esse tempo nós permaneceríamos em silêncio, enquanto A Firma espalha falsas alegações contra nós.

O momento de leveza veio quando o assunto gravidez veio à tona. Harry e Meghan super animados anunciaram que estão à espera de uma menina e nascerá no verão do hemisfério norte: junho, julho ou agosto.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Meghan Markle Brasil (@marklecombra)

Logo após a entrevista, o fotografo e amigo de Meghan, Misan Harriman divulgou mais uma foto da família para marcar a revelação do sexo do bebê. Nesta nova foto, Archie se junta aos pais.

Quando o assunto foi a saída do casal dos cargos de realeza sênior, Harry revelou que em nenhum momento surpreendeu a Rainha, que haviam dois anos que ele vinha tentando com a instituição um modelo de trabalho que ele e Meghan conseguissem fugir de todo o assédio da mídia. Foi revelado que eles sugeriram morar em outros países da Commonwealth para continuar representando a Rainha, ao mesmo tempo que teriam uma vida mais sossegada. Os países sugeridos foram Nova Zelândia, Canadá, Austrália, África do Sul… todas as opções foram negadas pelo Palácio. Como já suspeitávamos, Harry revelou que se o casal tivesse obtido suporte e compreensão da instituição, eles não teriam deixado os deveres reais.

A segurança do casal sempre foi uma pauta de discursão em todos mundo e a monarquia retirou a segurança deles quando a família ainda estava no Canadá, sem aviso prévio. Harry foi avisado que os seguranças iam ser removidos e ele não sabia quanto mais a quarentena ia durar. Tyler Perry ofereceu a casa nos EUA e eles se mudaram.

Na questão de segurança, eu nunca achei que a perderia pois eu sempre fui um elemento da família, então foi um choque para mim – Harry sobre a perda da segurança.

A Meghan escreveu pra a Família Real pedindo pra não tirar a segurança do Harry, ela entendia que não tinha a segurança pra ela ou o Archie, mas que ela via as ameaças de morte, as questões raciais, mas não queria que Harry perdesse sua proteção. Harry disse que seu maior medo é ver a história se repetir, onde Meghan seria tão perseguida quanto sua mãe, a princesa Diana.

Harry disse que ainda está chateado com sua família, por eles nunca terem demostrado apoio público a Meghan, principalmente nas questões raciais e que isso seria ainda mais importante para a imagem da monarquia, visto que a Commonwealth é composta majoritariamente por pessoas pretas. A entrevista ainda cita o relacionamento quase inexistente de Harry com seu pai e irmão. Diretamente, Meghan fala com um tom de rancor dessas pessoas e sempre fala “família de Harry”. A Rainha, príncipe Philip, a Duquesa de York e a princesa Eugenie foram as únicas citadas com carinho por Meghan.

A entrevista obtebe seu saldo positivo. Ficou bastante claro para o mundo a importância do debate de saúde mental. O debate do racismo também é importante. Clicando AQUI você assistirá a entrevista completa e legendada. Caso não consiga abrir o player devido ao grande número de acessos, faça uma copia do arquivo em seu drive e faça o download, visto que a entrevista contém mais de 6GB de memória.

Em nosso podcast, Fora da Realeza, demos nossa opinião sincera sobre os assuntos debatidos na entrevista e demais noticias chaves.

Poucos dias antes da entrevista de Meghan e Harry para a Oprah Winfrey ser televisionada pela CBS, vimos o staff do Palácio a todo momento ir até a mídia britânica para fazer comentários anônimos sobre uma entrevista que naquele instante, se quer havia ido ao ar.

Para todos aqueles que estavam esperando, essa jogada de comentar a entrevista e impor narrativas era mais do que esperado. O Palacio por dias estava criando um ar de vingança em cima de uma conversa que ninguém tinha acesso ainda e o mundo não deixou isso passar.

Então no ultimo dia 2, eles jogaram para uma mídia “amiga” sua maior cartada: a Duquesa de Sussex praticou bullying com os funcionários do Palácio. Uma denuncia foi feita para o The Times UK, acusando Meghan de intimidar funcionários, os deixando tensos por ter que trabalhar com ela. Além das acusações de ser uma bully, uma história sobre um par de brincos da coroa usados por Meghan ligada as suas convicções sobre os direitos das mulheres também foram jogadas para a mídia, com o objetivo de mais uma vez descredibilizar tudo aquilo que Meghan poderia dizer.

Sobre a história dos brincos, durante a turnê de 2018 pela Oceania, a Duquesa usou um par de brincos de diamantes que são presentes do príncipe saudita Mohammed bin Salman, que é o principal suspeito de mandar assassinar o jornalista Jamal Khashoggi, do The Washington Post. O príncipe deu de presente estes brincos para a FAMILIA REAL e não para Meghan. Coincidentemente, toda essa história sobre Meghan usar brincos de um assassino veio a tona pouquíssimos dias antes dela poder contar sua própria história. Para que todos tenham conhecimento, a Monarquia como instituição, recebe muitos presentes e joias estão inclusas nos tipos de presentes recebidos. Os membros da Família podem sim pegar essas joias de presentes. Contudo, ao fazer um pedido de empréstimo, é feito pela instituição uma seleção de joias que eles querem emprestar para aquela pessoa e nesta mini seleção, quem fez o pedido pega a joia. Meghan não é dona dos brincos e como na época sua equipe de comunicação mesmo disse, ela usou brincos emprestados. O Palácio selecionou aqueles brincos para Meghan. Os brincos nunca foram propriedade da Duquesa de Sussex.

O que precisamos compreender é que: por qual motivo, um empréstimo de uma joia a mais de dois anos atras veio à tona? Principalmente se levarmos em conta que a coroa britânica saqueou todas as riquezas de países africanos e asiáticos e que grande parte das joias da monarquia e da Rainha são joias roubadas desses países explorados? Porque Meghan Markle é conivente de um assassino por usar joias da coroa britânica ao mesmo tempo que a coroa britânica fica ilesa a tudo isso?

Voltando ao tópico Meghan bully, o The Tomes revelou que Jason Knauf, que até então trabalhava para os Sussex e Cambridge, enviou um e-mail para o secretário particular do Duque de Cambridge, Simon Case, relatando que Meghan estava mimando a confiança da equipe e que já teria sido capaz de intimidar com bullying, dois assistentes pessoais. Segundo Knauf, Meghan tinha claramente a intenção de sempre ter alguém em sua mira. A reportagem segue dizendo que quando os funcionários que foram citados por Jason souberam que ele havia feito essa queixa contra Meghan, todos pediram que o assunto fosse encerrado.

Precisamos ter me mente que em nenhum momento foi dito no artigo quais eram o modus operandi do bullying praticado pela Meghan. Foi um compilado de acusações já feitas ao longo dos anos e que mais uma vez, não apresenta nenhuma prova concreta. Enviar e-mails de madrugada é forma de intimidar? E-mails são enviados a todo momento e não se espera que eles sejam respondidos imediatamente. Não atender uma ligação é motivo para que um funcionário chore de medo? Medo de que?

Um artigo da Haper’s Bazaar dá um novo panorama sobre a saída da assistente pessoal Melissa Toubati, que deixou a equipe de Harry e Meghan devido à má conduta profissional.

Uma dessas funcionárias, a assistente pessoal Melissa Toubati, deixou o Palácio de Kensington em outubro de 2018 depois de ter sido “levada às lágrimas”, segundo relatos de tablóides britânicos da época. Um assessor anonimamente defendeu a saída abrupta, dando rapidamente um relato brilhante de sua gestão ao Daily Mail. No entanto, foi posteriormente alegado em documentos judiciais durante o caso de privacidade de Meghan contra o The Mail on Sunday que Toubati tinha, de fato, sido demitida de seu papel por má conduta. Na biografia de Sussex, Finding Freedom, as fontes revelaram que foi a amizade de longa data de Knauf com Toubati que levou os Sussex a acreditar que certos funcionários, incluindo seu próprio secretário de imprensa, estavam “mais interessados ​​em proteger um dos seus do que [Meghan].

Não é nenhuma novidade para aqueles que acompanham os Sussexes ao longo dos anos o quão eles foram vitimas de vazamentos, seja de trabalhos ou de suas vidas pessoais e não existe a mínima possibilidade dos vazamentos não ter vindo daqueles que trabalhavam com eles no Palácio.

O mais engraçado é que o Palácio de Buckingham respondeu publicamente as acusações feitas contra Meghan. Foi divulgado um comunicado onde o Palácio disse que convocaria os funcionários envolvidos nas acusações para uma conversa. Será mais uma vez uma visão unilateral, onde somente um lado dará sua versão.

Declaração do Palácio de Buckingham

Estamos claramente muito preocupados com as alegações no The Times após alegações feitas por ex-funcionários do Duque e da Duquesa de Sussex.

Consequentemente, nossa equipe de RH analisará as circunstâncias descritas no artigo. Os membros da equipe envolvidos no momento, incluindo aqueles que deixaram a Família, serão convidados a participar para ver se quais lições podem ser aprendidas.

A Royal Household tem uma política de Dignidade no Trabalho em vigor há vários anos e não tolera e não tolera intimidação ou assédio no local de trabalho.

Até o exato momento, não tivemos nenhuma atualização desta “investigação”. Obviamente, Meghan não se calaria diante a essas acusações e através de seus advogados, ela rebateu as mesmas, pontuando que o The Times de estava sendo usado pelo palácio de Buckingham para espalhar uma narrativa totalmente falsa antes da entrevista.

Vamos apenas chamar isso do que é – uma campanha de difamação calculada com base em desinformação enganosa e prejudicial. Ficamos desapontados ao ver este retrato difamatório da Duquesa de Sussex receber credibilidade por um meio de comunicação. Não é coincidência que acusações distorcidas de vários anos com o objetivo de minar a Duquesa estejam sendo informadas à mídia britânica pouco antes de ela e o Duque falarem abertamente e honestamente sobre sua experiência nos últimos anos.

A Duquesa está triste com este último ataque à sua personagem, particularmente como alguém que tem sido alvo de bullying e está profundamente comprometida em apoiar aqueles que sofreram dor e trauma. Ela está determinada a continuar seu trabalho construindo compaixão em todo o mundo e continuará se esforçando para dar o exemplo para fazer o que é certo e fazer o que é bom.

O que o Palácio não esperava era a onda a favor de Meghan que se espalharia pelo mundo. Seus amigos, colegas e pessoas que sequer a conhecem, não compraram a Meghan bully vendida pelo Palácio.

Uma das amigas mais antigas de Meghan, Lindsay Roth saiu em defesa de Markle.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Lindsay Roth (@lindsayjillroth)

O Modus Operandi de Meg sempre foi gentileza; a boa vontade corre em seus ossos. Sei que isso é verdade após são 22 anos de amizade muito próxima. Eu vi em primeira mão como ela trata seus amigos, suas famílias e seus colegas.

Se ela estiver dirigindo com você no banco do passageiro, ela lançará o braço direito na sua frente ao menor solavanco em um gesto de amor para garantir a sua segurança. Se você tem um objetivo específico, ela o ajudará a alcançá-lo e suas paixões se tornarão as dela em seu nome. Se você tiver o prazer de conhecer Meg – e espero que muitos de vocês tenham – você verá a amiga altruísta e magnânima que tenho a sorte de ter a meu lado.

Ela é engraçada. Tipo, rir alto e engraçada. E inteligente. Ela é mais do que apenas uma história de capa.

Ela era essa mulher quando éramos estudantes juntos na Northwestern University; ela era uma mulher em Los Angeles quando seus dias foram gastos em testes; ela era uma mulher morando em Toronto como Rachel Zane em Suits; ela era essa mulher antes que você soubesse que ela estava namorando Harry; ela era essa mulher depois que você soube que estava namorando Harry; ela era essa mulher quando se tornou duquesa de Sussex e ainda é – sem dúvida – essa mesma mulher hoje.

Daniel Martin, amigo de longa data e maquiador,também saiu em defesa da Duquesa.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Daniel Martin (@danielmartin)

Porque ela não é egocêntrica,
as pessoas podem ver a luz nela.
Porque ela não se vangloria, ela se torna um exemplo brilhante.
Porque ela não se glorifica, ela se torna uma pessoa de mérito.
Porque ela não quer nada do mundo,
o mundo não pode vencê-la. – Tao Te Ching

A diretora de TV e amiga de Meghan, Silver Tree também deu seu depoimento.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Meghan Markle Brasil (@marklecombra)

O amigo e colega de trabalho de Meghan, Patrick J Adams, saiu em defesa ao carater de Meghan e acusou a Familia Real de estar atras de toda a campanha de difamação atraves de uma série de tweets.

Meghan Markle e eu passamos a maior parte de uma década trabalhando juntos em Suits. Desde o primeiro dia ela foi um membro entusiasta, gentil, cooperativa, generosa, alegre e solidária de nossa família televisiva. Ela permaneceu essa pessoa e colega conforme a fama, prestígio e poder foram acumulados.

Ela sempre foi uma mulher poderosa com um profundo senso de moralidade e uma ética de trabalho feroz e nunca teve medo de falar, ser ouvida e defender a si mesma e aos seus entes queridos. Como o resto do mundo, eu a observei navegar nos últimos anos com espanto.

Ela se apaixonou, mudou para um novo país, tornou-se um nome familiar em todo o mundo e começou o difícil trabalho de tentar encontrar seu lugar em uma dinâmica familiar que pode, na melhor das hipóteses, ser descrita como complicada e, na pior, aparentemente arcaica e tóxica.

Fiquei enojado ao ler o infindável vitríolo racista, calunioso e clickbaiting cuspido em sua direção por todos os meios de comunicação do Reino Unido e do mundo, mas também sabia que Meghan era mais forte do que as pessoas percebiam ou entendiam e eles se arrependeriam de subestimá-la.

E então eles deram as boas-vindas a Archie. E em qualquer tipo de planeta decente, esse seria o momento de parar de afiar as facas e deixar essas duas pessoas aproveitarem os primeiros meses e anos mágicos de começar uma família. Mas não vivemos naquele planeta e, em vez disso, a caça continuou.

É OBSCENO que a Família Real, que é o mais novo membro atualmente CRESCENDO DENTRO DELA, está promovendo e ampliando acusações de “bullying” contra uma mulher que foi basicamente forçada a fugir do Reino Unido para proteger sua família e sua própria saúde mental.

Na minha opinião, este capítulo mais recente e seu momento são apenas mais um exemplo impressionante da vergonha de uma instituição que sobreviveu à sua relevância, está muito abatida em credibilidade e aparentemente falida em decência.

Encontre outra pessoa para advertir, repreender e atormentar. Minha amiga Meghan está fora do seu alcance.

Outros amigos como Abigail Spencer, Jessica Mulroney, Heather Dorak e Misha Nonoo também escreveram em suas redes sociais mensagens de apoio a Markle. A Meghan que conhecemos é a Meghan descrita por seus amigos. A Meghan que lutou com dignidade para conquistar cada espaço. A Meghan que sempre foi gentil com todos a sua volta. Essa mentira que o Palácio tentou empurrar mundo a fora só prova que eles não aprenderam em nada com o que aconteceu com a princesa Diana. Eles sempre deixam a inveja tomar conta de tudo, só que desta vez, ninguém se calará ou esperará outra morte acontecer para ver a realidade por trás dos portões do palácio.

Em 26 de fevereiro foi ao ar a participação de Harry no programa ‘The Late Late Show’. O príncipe se juntou à seu amigo de longa data, James Corden e juntos, eles fizeram uma pequena tour por Los Angeles.

Já no início do passeio, em um ônibus aberto, Harry diz que “não tinha permissão dos cortesões” para fazer esse mesmo passeio em Londres. Passeios em ônibus abertos são uma atração concorrida em Londres. Corden quis saber de Harry o que o levou a mudar de continente.

Todos nós sabemos como a imprensa britânica pode ser. E estava destruindo minha saúde mental. Isso é tóxico. Então eu fiz o que qualquer marido e pai fariam — eu preciso tirar minha família daqui.

Sobre não ter conseguido o meio período tão esperado como membros trabalhadores da realeza, Harry disse que:

Mas nunca fomos embora e, no que me diz respeito, quais decisões são tomadas desse lado eu nunca vou embora. Eu sempre estarei contribuindo, minha vida é serviço público, então onde quer que eu esteja no mundo vai ser a mesma coisa.

O príncipe Harry não deixou de mais uma vez dizer que desde sempre ele escolheu Meghan:

Não foi tanto para onde fomos, mas o fato de nos darmos bem um com o outro, e estávamos tão confortáveis na companhia um do outro. Um namoro comigo ou qualquer membro da Família Real é meio virado de cabeça para baixo. Todas as datas se tornam jantares ou assistindo TV ou conversando em casa.

O papai Sussex não deixou de falar sobre sua cria, Archie:

Ele tem a personalidade mais incrível e já está juntando três ou quatro palavras, ele já está cantando músicas. Sua primeira palavra foi crocodilo. Minha avó nos perguntou o que Archie queria para o Natal, e Meg disse uma máquina de waffles. Então ela enviou uma máquina de waffles para Archie!

Meghan fez uma pequena participação via FaceTime e vocês podem ver agora o trecho legendado.

A participação completa do Duque de Sussex, você pode ver aqui.

O dia 19 de fevereiro além de aniversário do Duque de York foi marcado como o dia que a Rainha e seus cortesões acharam oportuno divulgar as sanções finais da revisão de um ano do Duque e da Duquesa de Sussex. Harry e Meghan em janeiro do ano passado anunciaram que estavam se afastando da realeza como membros trabalhadores e que a partir daquele momento, eles estavam em busca de sua independência financeira.

O último dia de revisão se encerraria exatamente dia 31 de março e não era esperada nenhuma declaração antes disso. Mas após a Família Real ser criticada sobre um tweet de aniversário para o Príncipe Andrew, o Duque de York em tom de “lembrança” sobre um fato do monarca.

#OnThisDay em 1960, a Rainha deu a luz em segurança, ao primeiro filho de um monarca reinante desde 1857.

Sua Majestade foi fotografada segurando o Príncipe Andrew em 1961 na varanda do Palácio de Buckingham, ao lado do Duque de Edimburgo, da Princesa Anne e da Rainha Mãe.

O príncipe Andrew, está afastado dos deveres reais públicos desde o fim de 2019 após sua ligação com Jeffrey Epstein, um magnata já morto que foi condenado por abuso sexual e trafico sexual de menores, se tornar insustentável.

O público não recebeu bem essa singela comemoração ao aniversario do Duque de York e convenientemente, uma declaração sobre os Sussexes foi emitida pelo Palácio.

Os jornalistas conhecidos como Repórteres Reais, que fazem parte da Royal Rota, receberam com exclusividade do Palácio a noticia que Harry e Meghan estavam perdendo todos os seus patrocínios ligados a Família Real e que Harry, estava perdendo todos os títulos honorários que recebeu de presente de sua avó, a Rainha.

Leia na integra a declação do Palácio, em nome da Rainha Elizabeth II:

O Duque e a Duquesa de Sussex confirmaram a Sua Majestade a Rainha que não retornarão como membros trabalhadores da Família Real.

Após conversas com o Duque, a Rainha escreveu confirmando que, ao se afastar do trabalho da Família Real, não é possível continuar com as responsabilidades e deveres inerentes a uma vida de serviço público. As nomeações militares honorárias e patrocínios reais detidos pelo Duque e a Duquesa serão, portanto, devolvidos a Sua Majestade, antes de serem redistribuídos entre os membros trabalhadores da Família Real.

Embora todos estejam tristes por sua decisão, o Duque e a Duquesa continuam sendo membros muito queridos da família.

Quando a Rainha comunica a Harry que “ao se afastar do trabalho da Família Real, não é possível continuar com as responsabilidades e deveres inerentes a uma vida de serviço público”, ela está somente sendo hipócrita. Existem outros membros da Família Real que apesar de não trabalharem para a realeza, mantem patrocínios ligados à firma.

O príncipe e a princesa Michael de Kent se quer trabalharam em algum momento para a Rainha, mas possuem diversos patrocínios ao mesmo tempo que sem sua empresa privada. Os Kent estão sempre presentes em banquetes de estado e sem nenhuma duvida, esses laços da monarquia são aproveitados na esfera comercial do casal.

Segundo o próprio site da Família Real:

O Príncipe e a Princesa Michael não recebem dinheiro público, mas assumem uma série de funções públicas, incluindo representar a Rainha em certos compromissos.

Harry esperava desempenhar papel semelhante: ter seus acordos comerciais e continuar representando a Rainha sempre que possível. Mas o que ele recebeu foi: ou você está dentro (e sem sua esposa e filhos), ou está fora. Ele ficou fora. A declaração de que só é possível ter uma vida de serviço se você está integralmente na firma, não caiu bem, principalmente por ser direcionada a um veterano de guerra que viveu 36 anos servindo seu país.

Assim sendo, o Duque e a Duquesa de Sussex “devolveram” para a Rainha alguns patrocínios, além de seus cargos como presidente e vice-presidente da Queen’s Commonwealth Trust. O que se sabe, mesmo antes da perda dos patrocínios, é que as instituições que estavam ligadas os Sussexes, não estavam dispostas a perder os dois. Mas a Rainha passou por cima dessas instituições e os deixaram sem patronos que realmente fazem a diferença.

O Telegraph informou que nenhuma das organizações recebeu ainda qualquer informação do Palácio, e que foram ‘pegos de surpresa’ quando a saída dos Sussex foi anunciada. Muitos manifestaram o desejo de manter seus vínculos com o Duque e a Duquesa e estão particularmente frustrados e não sendo mantidos informados sobre os acontecimentos.

A Rugby Football League, que já havia anunciado Harry ‘na frente e no centro’ de sua cobertura da Copa do Mundo ainda este ano, comentou que estava ‘muito orgulhoso’ de tê-lo como patrono desde 2016. A Rugby Football Union e a Rugby Football League, que de acordo com um relatório do The Telegraph, perderá Harry e ganhará William, não está feliz com a saída do Duque de Sussex:

Haverá muitos distúrbios. A Copa do Mundo é no outono e o Príncipe Harry deveria estar na frente e no centro disso. Há rumores de que ele poderia ter algum papel, que ali poderia ser um meio termo, mas se isso é viável, eu não sei. Para ser honesto, fomos completamente surpreendidos pela notícia. Queríamos muito manter o Príncipe Harry, ele tem sido fantástico. A Copa do Mundo vai acontecer no norte da Inglaterra, o que é muito significativo neste momento e muito importante para a casa real reconhecer e apoiar, especialmente porque acontecerá em muitas cidades onde grandes eventos geralmente não são realizados. O Duque de Sussex foi uma figura de destaque que abraçou a Copa do Mundo e esperamos que a próxima nomeação seja uma continuação disso. Disse uma fonte para a PEOPLE.

Oficialmente Rugby Football Union e a Rugby Football League agradeceram Harry por todo o apoio e seguiram uma linha parecida com a da fonte, onde eles dizem esperar encontrar com Harry e Meghan em breve.

A Rugby Football League agradece ao Duque de Sussex por seu tempo, cuidado e compromisso em apoiar a Rugby League em todos os níveis nos últimos anos – desde o jogo infantil até a Challenge Cup, os times da Inglaterra e o RLWC2021.

O Príncipe Harry estará deixando seu papel como Patrono RFU. Gostaríamos de agradecer ao Príncipe Harry por seu tempo e compromisso com a RFU, tanto em sua posição como Patrono quanto como Vice-Patrono. A RFU tem valorizado muito sua contribuição para promover e apoiar o jogo. O Duque de Sussex tornou vice-patrono da RFU em 2010 e assumiu como patrono em dezembro de 2016. Agradecemos a ele por seu apoio.

O National Theatre, que perdeu Meghan como sua patrona, respondeu rapidamente a saída da Duquesa, assim como a QCT que perdeu o casal como presidente e vice-presidente da instituição.

O National Theatre é muito grato pelo apoio oferecido pela Duquesa de Sussex ao longo de seu patrocínio. A Duquesa defendeu nosso trabalho com comunidades e jovens em todo o Reino Unido, e nossa missão de tornar o teatro acessível a todos.

A QCT existe para apoiar jovens em todo o mundo que estão oferecendo ajuda prática para aqueles que mais precisam. Tivemos muita sorte em contar com o forte apoio e encorajamento do Duque e da Duquesa de Sussex em nossos anos de formação.  Eles nos possibilitaram um progresso rápido e nos ajudaram a preparar a organização para sua próxima fase. Estamos felizes por eles permanecerem em nosso círculo de apoiadores. Nosso foco, como sempre, está nos jovens com quem trabalhamos. Nós vamos pressionar com vigor para que cheguem em mais pessoas com os serviços essenciais que oferecem.

 

O National Theatre disse ao Daily Express  que gostariam de ter mantido Meghan como patrono, mas infelizmente isso não foi possível. Meghan também não é mais patrona da Association of Commonwealth Universities. Todos os patrocínios perdidos por Harry e Meghan serão passados para outros membros trabalhadores da Família Real.

Harry perdeu os títulos honorários militares de Royal Marines, RAF Honington, Royal Navy Small Naves and Diving e  os patrocínios The Rugby Football Union e The Rugby Football League.

Em conjunto, eles perderam a The Queen’s Commonwealth Trust.

Meghan perde, The Royal National Theatre e The Association of Commonwealth Universities.

O Duque e a Duquesa de Sussex em seguida se pronunciaram sobre a sansão final:

Conforme evidenciado por seu trabalho no ano passado, o Duque e a Duquesa de Sussex continuam comprometidos com seus deveres e serviços no Reino Unido e em todo o mundo, e ofereceramm seu apoio continuo as organizações que eles representaram independentemente de seu papel oficial. Todos nós podemos viver uma vida de serviço. O serviço é universal.

Todos as causas apoiadas por Meghan e Harry a partir de então, seguem vinculadas a Archewell Foundation. O Duque e a Duquesa de Sussex deixam claro que continuam apoiando às instituições, mesmo que eles não tenham um papel oficial como membros da monarquia. Os patrocínios perdidos por Meghan e Harry serão passados para outros membros trabalhadores da Família Real.

 

 

Desde quinze de fevereiro quando foi anunciado pela CBS que a grande apresentadora Oprah Winfrey seria responsavel por entrevistar Meghan Markle e Harry, estamos fazendo uma contragem regressiva. Essa é a primeira entrevista juntos que o Duque e a Duquesa de Sussex dão desde a entrevista de seu noivado em 2017.

Se você nos acompanha nas redes sociais, com toda certeza você já viu os traillers legendados que foram liberados até este momento. Caso ainda nao tenha visto, não deixe de nos seguir no Twitter e no Instagram e fique por dentro de todas as novidades.

O especial “Oprah com Meghan e Harry” vai ao ar pela CBS este domingo e terá a duração de duas horas. A entrevista começará as 22h, horário de Brasília. Como nenhuma emissora brasileira comprou os direitos de transmissão, nos comprometemos a procurar as melhores formas para que todos possamos assistir ao vivo a esta tão esperada entrevista.

Os dois links abaixos transmitem a programação da CBS 24h por dia:

FreeInterTV

123TVNow

Após o fim da transmissão, começaremos os trabalhos de tradução da entrevista completa.

Será um Príncipe Harry entristecido que digerirá o veredicto de grande parte da mídia britânica sobre o desfecho do Megxit. Aos olhos da maioria dos que escrevem sobre os Windsors, a Rainha é irrepreensível e o casal que se exilou mais uma vez é considerado pobre. Sua conversa inspirada na costa oeste de que o “serviço é universal” é a última entrada em uma folha de cobrança de pecados que cometeram contra uma instituição venerada.

Para os críticos de Harry e Meghan – e eles têm muitos – a equação é simples. Se milhões de dólares do Netflix e do Spotify estão despejando em suas contas bancárias, você não pode abrir festas em Chipping Sodbury; não que fosse provável que tal oportunidade algum dia tivesse estado no topo de sua lista real de coisas a fazer.

Esta análise é convincente, mas perde um elemento doloroso da triste saga. Uma família rejeitou um dos seus. A matriarca garantiu que todos os ramos de oliveira fossem cortados da árvore Megxit.

Quando Megxit foi adicionado ao nosso léxico, os Sussex estavam ingenuamente tentando ter seu bolo e comê-lo. Um ano depois, eles estavam apenas procurando algumas migalhas. Nenhum isso foi oferecido.

Como uma família – disfuncionais como tantas são – os Windsors podiam e deveriam ter deixado à porta entreaberta. Eles poderiam e deveriam ter facilitado um futuro em que o casal voltaria para Trooping the Color; Harry, que serviu a seu país, colocar uma coroa de flores no Domingo da Lembrança a cada ano; e eles continuariam a representar a Rainha em alguns eventos futuros da Commonwealth.

A realeza é excelente em inventar à medida que avançam. Quando a Rainha estava em um compromisso no ano passado e claramente não queria ser vista usando uma máscara, seus funcionários sugeriram que fossem feitos testes de Covid em todos aqueles que ela encontraria. Em vez de fazer a coisa certa – um chefe de estado liderando pelo exemplo – eles evitaram um confronto com uma mulher de 94 anos e optaram pela opção fácil.

Apesar de abandonar seu treinamento como Marinheiro Real, a instituição conseguiu encontrar um uniforme que se encaixa, então o Príncipe Eduardo pode colocar uma coroa de flores no Cenotáfio. Enquanto a família até mudou seu nome de Saxe-Coburg-Gotha para Windsor no auge do sentimento anti-alemão durante a Primeira Guerra Mundial.

A realeza mostrou que pode se adaptar e acomodar. Eles escolheram não fazer isso por alguém que é neto, filho e irmão – alguém que foi prejudicado pelos laços que o prendem. Por ordem de sua família, aos 12 anos, Harry caminhou atrás do caixão de sua mãe; algo que ele disse uma vez ‘nenhuma criança deve ser convidada a fazer’.

A conversa e a esperança agora nos círculos reais será seguir em frente e remeter Megxit para as notas de rodapé da história real. Eles não podem ver que contas futuras chegarão, eu acredito, registrar a Rainha como tendo agido mal ao responder a um neto que a adora. O espírito mesquinho sobre o magnânimo ganhou o dia. A história também refletirá sobre como as dolorosas lições infligidas à realeza após a morte de Diana foram esquecidas. ‘Mostre-nos que você se importa’ seria um lamento adequado para o Príncipe Harry.

A realeza, e aqueles que os cercam, ainda não conseguem ver o que eles descartaram. Ele estará em exibição quando a entrevista de Meghan e Harry com Oprah for transmitida. A monarquia falhou, no século 21, a não abraçar uma mulher afro-americana. Eles voltaram a ser brancos, predominantemente masculinos (apenas três dos dez primeiros na linha de sucessão são femininos) e, do jeito que as coisas estão, um pouco obsoletos.

Artigo original de Peter Hunt para The Spectator.

Um ano após deixarem a realeza sênior, o Duque e a Duquesa de Sussex estão prontos para falar sobre sua vida particular. Meghan e Harry ao longo dos últimos meses receberam inúmeros convites para falar sobre sua vida de vários veículos da imprensa, mas decidiram que uma única pessoa seria capaz de comandar essa entrevista: Oprah Winfrey.

Além de estar trabalhando com Príncipe Harry em um documentário de saúde mental para a Apple TV, sabemos que Oprah vem sendo uma colega especial para a mãe de Meghan, Doria Ragland, ao longo dos últimos anos.

A CBS anunciou que um especial para o programa 60 Minutes foi filmado e produzido pela apresentadora e os Sussexes serão as estrelas da vez. O especial será transmitido pela emissora em 7 de março.

Winfrey falará com Meghan, a Duquesa de Sussex, em uma ampla entrevista, cobrindo tudo, desde entrar na vida como um membro da realeza que trabalha, casamento, maternidade e filantropia, até como ela está lidando com a vida sob imensa pressão pública. Mais tarde, as duas se juntarão ao Príncipe Harry enquanto falam sobre sua mudança para os Estados Unidos, suas esperanças e sonhos futuros para sua família em expansão.

Esperamos que Oprah faça as perguntas certas e que Meghan não se esquive e possa dar pela primeira vez, sua versão de todos os fatos que ela foi acusada. Mais informações sobre como assistir ao especial, não deixe de nos acompanhar.

O Duque e a Duquesa de Sussex anunciaram neste domingo (14) que estão à espera de seu segundo filho. Em novembro de 2029 durante um artigo para o New York Time, Meghan revelou que sofreu um aborto espontâneo em julho, então essa gestação é do esperado bebê arco-íris, ou seja, um bebê que nasce de uma mãe que sofreu anteriormente um aborto ou que teve um filho morto prematuramente.

Meghan e Harry já são pis de Archie Mountbatten-Windsor, que completa dois anos no próximo mês de maio. A nova gestação da Duquesa foi confirmada pela assessoria do casal.

Podemos confirmar que Archie será um irmão mais velho. O Duque e a Duquesa de Sussex estão muito felizes por estarem esperando seu segundo filho.

A notícia da gravidez de Meghan veio em um dia mais que especial, principalmente para Harry. Ontem, há exatos 37 anos, Diana e Charles anunciavam sua segunda gravidez, do Príncipe Harry. A escolha da data sem dúvidas foi um aceso a Diana e a memória dela que Harry faz questão de cultivar, além de ser dia dos namorados nos EUA.

Os Sussexes divulgaram uma foto em preto e branco do casal em seu jardim em Montecito. A foto foi feita via iPad por um amigo e fotógrafo de longa data de Meghan, Misan Harriman.

 

Com a árvore da vida atrás deles e o jardim representando a fertilidade, a vida e o avanço, eles não precisaram de nenhuma direção, porque estão, e sempre estiveram, valsando pela vida juntos como almas gêmeas absolutas. Ser convidado a ajudar a compartilhar essa alegria absoluta depois de uma perda e dor de cabeça tão inimagináveis é um marcados de amizade verdadeira. Meg me lembrou que se eu não a tivesse apresentado a um amigo em comum, ela não teria conhecido Harry. Sou grato por qualquer pequeno papel que desempenhei! Disse Harriman para a Vogue Britânica

Misan é um amigo de longa data de Meghan, foi um dos convidados da cerimônia de casamento de Harry e Meghan em 2018 e foi responsável pela fotografia da edição de setembro de 2018 da Vogue Britânica vó -editada por Meghan.

Na foto, o casal estava deitado em jardim, sorrindo felizes um para o outro, enquanto Meghan descansava sua mão em sua barriga já evidente. A Duquesa vestia um vestido fluido branco da Carolina Herrera, que segundo informações, ela usou pela primeira vez percebemos usando estava grávida de Archie.

Assim como Archie, esse bebê não recebes nenhum título honorário. Será mais uma criança com uma vida privada e que aparecerá sempre que seus pais acharem correto. O bebê será o décimo bisneto da Rainha Elizabeth e do Duque de Edimburgo, o segundo neto de Doria Ragland e o quinto neto do Príncipe Charles e da Princesa Diana, ocupando atualmente o 8º lugar na linha de sucessão ao trono britânico. O baby Sussex assim como seu irmão Archie, terá cidadania americana e britânica.

Felicidades a essa pequena família. Estamos ansiosos para assistir esse novo capítulo.

Foi anunciado há semanas atrás a parceria da Archewell Foundation e a World Central Kitchen do Chef José Andrés, onde a Archewell se comprometeu a construir quatro Centros de Ajuda Comunitária em regiões desproporcionalmente afetadas pela fome. Esses centros funcionarão como cozinhas de serviço de emergência durante os momentos de alta necessidade ou desastre, e como centros de distribuição de alimentos, escolas, clínicas ou zonas seguras de reunião da comunidade durante os tempos de não desastre.

A primeira cozinha foi revelada. As instalações foram feitas na da Escola Primária Soufriere em Dominica e serão usadas para o programa de alimentação da escola e servirão como um centro de treinamento/habilidade da comunidade. A nova cozinha custou mais de cem mil dólares.

A Representante Parlamentar do Grupo Soufriere Exmo, Denise Charles afirmou que a cozinha servirá para facilitar o programa de alimentação escolar, além de servir como centro de treinamento para residentes que desejam aprender uma nova habilidade.

Decidimos que não queríamos apenas fornecer uma cozinha para a escola. Queríamos uma oportunidade de fornecer treinamento para pais solteiros ou qualquer pessoa no distrito que desejasse aprimorar suas habilidades culinárias, explicou Denise Charles.

A Ministra observou que espera continuar a parceria com a organização para estabelecer um programa de treinamento certificado.

Estou muito animada para ver a qualidade do equipamento. Sei que as pessoas que lá receberão treinamento receberão o melhor treinamento e esperamos que possamos continuar essa parceria com a World Central Kitchen para que possamos ter um programa de treinamento certificado, e também pretendemos trabalhar com o Ministério da Educação, ela adicionou.

Enquanto isso, o gerente de projeto do Resilient Dominica Project (REZDM), Sr. Simon Walsh, observou que a nova cozinha pode ser usada no caso de outro grande desastre.

A World Central Kitchen vê isso como uma cozinha que está aqui no caso de outro grande desastre. Essa cozinha vai ficar muito bem montada para cozinhar em caso de emergência, eles poderão alimentar muitas pessoas muito, muito rapidamente e isso é um aspecto sério, acrescentou Walsh.

Em declaração, Meghan e Harry disseram que:

A saúde de nossas comunidades depende de nossa capacidade de nos conectarmos com nossa humanidade compartilhada. Quando pensamos no Chef Andrés e sua incrível equipe na World Central Kitchen, somos lembrados que mesmo durante um ano de dificuldades inimagináveis, existem tantas pessoas incríveis dispostas – e trabalhando incansavelmente – para apoiarem umas às outras. World Central Kitchen nos inspira por meio da compaixão em ação.

Inicialmente serão quatro cozinhas e o esperado é que a próxima seja revelada nas próximas semanas.

Fonte: Government Information Service.