A Splash News, uma agência de paparazzi que tirou fotos de Meghan Markle e Archie quando os dois estavam passeando perto de sua casa no Canadá declarou que “invadiu ilegalmente” sua privacidade e concordou em não tirar fotos da família no futuro.

O juiz Nicklin ouviu a declaração em audiência pública remota nesta sexta-feira em relação a uma reivindicação de privacidade e proteção de dados de Meghan e Archie contra a Splash News e a Picture Agency.

A agência está agora com uma nova administração – em comunicado lido no tribunal disse que as partes concordaram em resolver a reivindicação sobre as fotos, que foram tiradas em um “configurante rural remoto” em um parque canadense. Ele continuou:

Os administradores da Splash UK assumiram que, caso a entidade saia da administração, a Splash UK não tirará fotografias do Duque e da Duquesa ou de seu filho no futuro.

Um porta-voz do escritório de advocacia do casal, Schillings, disse que, embora o caso tenha concluído, outra reivindicação contra uma agência irmã com sede nos EUA continuaria. O porta-voz disse:

O Duque e a Duquesa de Sussex resolveram com sucesso uma reivindicação legal apresentada no início deste ano contra a agência de paparazzi Splash UK. Este acordo é um sinal claro de que o comportamento ilegal, invasivo e intrusivo dos paparazzi não será tolerado, e que o casal leva esses assuntos a sério – assim como qualquer família faria. Uma reivindicação simultânea e semelhante contra a Splash US, uma empresa irmã da Splash UK, continua avançando no sistema judicial britânico.

A advogada de Meghan, Jenny Afia, disse ao tribunal que “tomada das fotografias constituiu uma invasão ilegal de privacidade”. Ela disse que as fotos foram tiradas “em um passeio familiar privado em um ambiente rural remoto e não havia interesse público nas fotografias”.