A Duquesa de Sussex editou uma edição histórica da Vogue britânica com o editor-chefe Edward Enninful. Intitulada “Forces for Change”, a edição de setembro de 2019 destaca um elenco de mudadores brilhantes do sexo feminino que estão prontos para reformular a sociedade de maneira radical e positiva. É a primeira vez que uma edição de setembro da Vogue britânica foi co-editada.

A capa foi fotografada por Peter Lindbergh – a sua primeira vez para a revista desde Setembro de 1992 – e apresenta 15 mulheres do mundo da política, do esporte e das artes, todas elas tendo um impacto inspirador na vida moderna. A seleção de mulheres foi um processo altamente pessoal para a Duquesa e para Enninful, e o resultado de uma colaboração que começou em janeiro deste ano.

Estes últimos sete meses foram um processo gratificante, curando e colaborando com Edward Enninful, editor-chefe da British Vogue, para tomar a edição de moda mais lida do ano e direcionar seu foco para os valores, causas e pessoas que causam impacto no mundo de hoje. Por meio dessa lente, espero que você sinta a força do coletivo na seleção diversificada das mulheres escolhidas para a capa, bem como a equipe de apoio que invoquei na questão para ajudar a esclarecer isso. Espero que os leitores se sintam tão inspirados quanto eu, pelas ‘Forces for Change’ que eles encontrarão nestas páginas – disse Meghan.

A formação da capa inclui a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, que, em sua primeira vez para a revista e para Lindbergh, foi fotografada para a capa em Auckland, Nova Zelândia, via link de vídeo; a ativista climática adolescente Greta Thunberg, fotografada por Lindbergh na Suécia, que aos 16 anos é uma das mais jovens estrelas cover da revista; a ativista e atriz Jane Fonda, que aos 81 anos é a mais velha; e a defensora LGBTQIA+, atriz e produtora Laverne Cox, que se torna a primeira pessoa trans a figurar na capa da Vogue britânica.

Também na capa está Adwoa Aboah, modelo e ativista de saúde mental; Adut Akech, antiga refugiada e modelo; Ramla Ali, antiga refugiada e boxeadora; Sinéad Burke, defensora da diversidade e conferencista; Gemma Chan, ativista e atriz; Salma Hayek Pinault, defensora dos direitos das mulheres, atriz e produtora; Francesca Hayward, bailarina principal do Royal Ballet e atriz; Jameela Jamil, ativista do corpo e atriz; Chimamanda Ngozi Adichie, autora; Yara Shahidi, ativista de votos da juventude e atriz; e Christy Turlington Burns, a defensora de saúde materna e modelo.

O décimo sexto lugar da capa aparecerá impresso como um reflexo prateado, para mostrar como você, o leitor, faz parte desse momento extraordinário no tempo – e para encorajá-lo a usar sua própria plataforma para trazer mudanças.

A edição também inclui uma visão íntima do mundo da duquesa. Ela introduz Forces for Change em suas próprias palavras na carta da editora convidada e também contribui com uma entrevista com a ex-primeira-dama Michelle Obama. Outros destaques incluem uma entrevista conduzida por seu marido, o Duque de Sussex , com a renomada etóloga Dra. Jane Goodall.

Pudemos também contar com palavras do editor chefe da Vogue Britânica de como foi todo o processo de trabalho com ao lado da Meghan.

Para ter a mais influente referência de mudança do país, na edição britânica da Vogue foi uma honra, um prazer e uma surpresa maravilhosa – disse Edward Enninful.

Todo processo criativo começou em janeiro quando Edward convenceu a Duquesa e logo em seguida foi criado o nome da edição: Forces for Change. Meghan decidiu não estar presente na capa e sim, colocar mulheres fortes e importantes em suas carreiras em destaque.

Como você verá a partir das seleções ao longo desta revista, ela também está disposta a entrar em áreas mais complexas e diferenciadas, sejam elas relacionadas ao empoderamento feminino, saúde mental, raça ou privilégio. Desde o início, falamos sobre a capa – se ela estaria ou não. No final, ela sentiu que, de certa forma, seria uma coisa “arrogante” para esse projeto em particular. Ela queria, em vez disso, se concentrar nas mulheres que ela admira.

A edição de setembro é a mais importante do ano no mundo da moda e ficamos extremamente felizes pelo modo com que Meghan encarou as coisas e tomou sua decisão final. Markle conhece seus privilégios e os usa para dar voz a pessoas e causas que ela acredita. Antes de sua entrada para a Família Real muito se questionou sobre o que Meghan faria a voz que ela tanto cuidou em todos esses anos. O que vemos agora, pouco mais de um ano como uma royal sênior é que sua voz não foi calada e sim, ganhou ainda mais força.

E apesar de alguns relatos sobre uma sessão de fotos da Duquesa, tivemos apenas uma foto de Meghan, foto essa feita em uma visita da Duquesa a Smart Works – instituição que Meghan é patrona.

Meghan uniu várias coisas que gosta nesta edição: moda, empoderamento feminino e deu sua imagem e voz a aquelas que lutam diariamente por um mundo melhor.

A edição de setembro da revista British Vogue, coeditada pela Duquesa de Sussex, está disponível nas bancas de jornais e no download digital na sexta-feira, 2 de agosto.

FONTE: British Vogue